Momento

Abri os olhos devagar. Os primeiros raios de sol da manhã entravam timidamente pela janela. Devo ter-me esquecido de a fechar, depois do que aconteceu na noite anterior. O que se passou ao certo? Desculpa,[…]

A melhor sangria que bebi

Querida! Já viste a bela tarde de sol de hoje? Apetece-me fazer algo… Sei lá! Olha! Vamos estender a rede na varanda e prostrar-nos a contemplar o mar? Eu e tu, o sol e a[…]

Súplica

Vem… beija-me… lambe estas lágrimas que me escorrem pelo rosto e sacia a minha vontade de um abraço sentido. Demora-te, … por favor, não tenhas pressa, permanece quieta em mim, deixa-te ficar em silêncio no meu[…]

Finge…

Não digas nada… Fecha os olhos e imagina, sente… Só hoje, só esta noite, finge que me queres… Sem promessas nem cobranças, muito menos moralismos ou pudores, sem limites… Põe de lado essa luta interna[…]

Presa

Ela era uma mulher, como tantas outras mas no entanto já não se sentia feminina. Foi-lhe roubada, no entanto, fora ela quem ficou presa. Encarcerada na sua mente perturbada.  Alguém lhe roubou a sua identidade,[…]

Tarde de Inverno

Texto Erótico|M18 “- Hello Mrs. V… – Boa tarde Miss E… Como está? – Estava com saudades suas… – Hum… Também tinha saudades suas Miss E… Já á muito tempo que não falava consigo…” Ali[…]

A quebra de confiança é por vezes um caminho sem retorno…

Doi-me a alma. Não sei se é possível, mas hoje acredito que sim. O corpo já não o sinto, na verdade sinto-me morto nesta vida em que vou sobrevivendo. Sinto-me extremamente cansado. Estou desiludido comigo[…]

Miss Lost #69Letras

Eu sou autêntica…  transparente nas palavras.  Sem máscara.  E transmito na escrita por vezes o meu amor pelos outros,  a minha ira,  os meus pensamentos,  os meus sofrimentos, a minha imaginação.  É como se me[…]

Comemoração do nosso S. Valentim

Texto Erótico|M18 Passou a tarde a chover. Volta e meia entre tarefas parei para a ver cair na janela. Hoje podia ser um dia como os outros, mas a rua está cheia de namorados e[…]

Até quando?

Mais uma vez acordo a sentir a tua presença em mim e interrogo-me: -Quando é que isto vai acabar… Quando vou deixar de ser parva, deixar de sentir o que sinto e de me agarrar[…]