Arquivo de etiquetas: coração

Sous le ciel de Paris

E lá estava ela.
O olhar brilhante, o sorriso doce, as madeixas douradas a ondular ao sabor da brisa, o casaco vermelho a combinar com a boina, o corpo esbelto e perfeito.
Na ponte sobre o rio Sena lá estava ela, a contemplar a Torre Eiffel, como sempre fazia ao fim da tarde.
A neve caía-lhe sobre os ombros como se algodão fosse e ela não se importava com o frio cortante que se fazia sentir naquele Inverno parisiense.
E, como sempre, aqui estou eu sentado na escadaria à espera que ela chegasse, apenas para a contemplar.
Apenas a olhar, sem a poder tocar, sem lhe poder dizer que o meu coração se prendeu a uma estranha.
O meu coração prendeu-se a ela.
Mas hoje foi diferente.
Hoje, depois de olhar a Torre, ela olhou para mim.
O seu olhar chocou com o meu e, timidamente, ela sorriu.
Sorriu para mim. E aproximou-se.
“Posso sentar-me aqui?”
Surpreso, apenas acenei a cabeça em sinal afirmativo.
O meu corpo estremeceu quando ela se sentou e o seu perfume suave invadiu o espaço.
“A vista é linda. Todas as tardes venho até aqui para olhar para a Torre e ver o anoitecer cair sobre ela.”
“Eu sei. E eu venho aqui só para te olhar e comprovar que o teu brilho é maior que o das estrelas”, pensei.
Sorri para ela e apresentei-me.
A conversa sobre Paris e a sua beleza prolongou-se até a noite chegar.
“Amanhã irei voltar. Encontro-te aqui?”
Ela queria voltar a estar comigo.
O meu coração quase explodia com tanta felicidade.
A semana passou-se com encontros diários na escadaria.
E eu sentia-me apaixonado.
Numa dessas tardes ela contou-me porque olhava sempre para a Torre Eiffel ao anoitecer.
“Um dia gostava de ir até ao cimo da Torre e olhar as estrelas. Acredito que de lá lhes poderia tocar e que os meus desejos se realizariam.”
“E qual é o teu desejo?”, perguntei.
“Neste momento…tu”.
Os nossos olhares fixaram-se, aproximando os nossos rostos e fazendo com que os lábios se tocassem.
Que beijo tão suave e doce.
Eu amava-a. Eu queria tornar os seus sonhos realidade.
Uma tarde, antes de nos despedirmos, sussurrei-lhe ao ouvido:
“Esta noite vais mais alto. Esta noite vais tocar nas estrelas.”
E entreguei-lhe uma chave. Uma chave para a Torre.
Os olhos dela ganharam um brilho maior que o do sol.
Abraçou-me.
“Obrigado! E tu? Vens comigo? Queres ir mais alto e sentir como é tocar numa estrela?”
“Eu já senti. Eu já te toquei.”
E assim nos despedimos.
Na noite cerrada, caminhei em direcção à Torre Eiffel.
Parei na ponte onde sempre a costumava ver.
Olhei para o topo da Torre e vi uma silhueta.
Uma silhueta esbelta e mais brilhante do que o anel de diamante escondido no meu bolso.
Tocava nas estrelas pedindo os seus desejos. Estava lá, mais alto.
A mulher a quem entreguei o meu coração.
A mulher que amo.

© Fox 2017 #69Letras

A ti!!

A ti…!!!
Que tanto tentas ler…
Que tanto tentas entender!!!
Que tanto tentas ver !!!

Aqui!!
É o que tu lês !
É aqui que me revelo!!
É aqui que me descrevo!

Onde tu vês entrelinhas
Onde tu presumes algo escondido!
Onde tu pensas que receio mostrar!

Aqui está o que não revelo!
O que vivo e vivi!!
O que escondo e não revelarei!
O que quero viver e o temido de perder!

Não mostro o que não tens de ver!
Não revivo o que não vivi!
Não conto o que nunca será um conto!
Nunca serei um príncipe!
Terei sempre Rainhas em mim!!

Não me procures escondido atrás do nome!
O nome não é um biombo…
E sim um quadro pintado!!
Os corpos nus descritos o papel onde me escrevo!!

©Read Mymind 2017 #69Letras

Deixo que doa

 

Digo muito “deixa que doa”

mas nunca disse “deixa que doa em vão”!
Às vezes é necessário pensar em nós também, não é egoísmo, talvez seja auto preservação.
Nem todos os que se aproximam merecem estar próximos, há gente nula ,que nos pesa, que nos são negativas, que sugam as nossas energias. Pessoas a quem demos o nosso melhor sem o merecer. E primeiro que voltemos a querer Amar de novo , quebra muito em nós!
Tem que haver um desprendimento de mágoas ,tem que se querer amar muito de novo,querer bem, respeitar e sentir o outro o suficiente para não aceitar o pouco como migalhas e em vão.
Ou vives por inteiro ou não tens nada.
Para seguir , deixa ir, não carregues o que te faz mal, que tão pouco te acrescenta. Que te cansa e magoa a alma, leva apenas o que te é bom, o que te for inteiro para a mente e coração.
Eu era intocável nos sentires, até perceber que o tempo em que fiquei reclusa no meu próprio mundo gerou medos às coisas comuns da realidade.
Eu era intocável ou insistia em ser, até sentir a vontade de retribuir um abraço, um carinho, um beijo!
Imagino-me imóvel, com aquela expressão de semi-pânico e a cabeça a mil, um monte de palavras e sentimentos cá dentro e a necessidade de sair dali, de desfazer o contato com aquele outro corpo, já com o receio prévio que não sairei ilesa!
Eu era intocável, até perceber que ninguém o é!
Eu deixo que doa, porque em mim há amor,
só não deixo que doa em vão !

©*My Sighs* 2017 #69Letras

Bilhete Dourado

“Vai dar entrada na linha número um, o comboio Intercidades com destino a Porto-Campanhã”.

Desligou o microfone após anunciar o comboio. Mais um dos muitos que anunciava diariamente.

Limpou o suor da cabeça calva. O dia estava quente e a única aragem fresca era provocada pelos comboios sem paragem que passavam a toda a velocidade.

Costumava ficar a olhar para eles até desaparecerem na curva da linha férrea. Secretamente desejava que o levassem.

“Pára! Deixa-me embarcar! Deixa-me partir contigo e abandonar esta vida monótona!”

As campainhas já tocavam anunciando que o comboio se aproximava. Pegou na bandeira vermelha e dirigiu-se à plataforma.

As pessoas juntavam-se e esperavam ansiosamente pela chegada do comboio.

Ele perguntava-se que sítios iriam visitar, que aventuras iriam viver, que histórias iriam colecionar.

A sua vida estava estagnada. Um emprego que o deprimia, um salário parco, um velho apartamento perto da estação, um coração vazio.

Queria algo novo. Esta não era a vida que desejava. Desejar era tudo o que fazia mas sem réstia de esperança.

– Desculpe…

A voz feminina despertou-o da melancolia.

– Por favor, fique com isto. Percebi que a minha vida, afinal, começa aqui.

A mulher loira esticou-lhe um papel, sorriu e correu para junto de um homem que beijou apaixonadamente.

Ele olhou o papel na sua mão. Os seus olhos abriram-se surpresos.

Nas suas mãos tinha um bilhete com destino ao Porto no comboio que acabava de parar na estação.

Poderia esta ser a sua oportunidade?

Aquilo por que tanto ansiava estava na sua mão. Não tinha nada a perder.

O ar quente que emanava do comboio não o deixou sonhar mais alto. Tinha de entregar o bilhete na bilheteira.

Observou a plataforma. As últimas pessoas subiam para o comboio. O comboio das aventuras, dos sonhos, da esperança, da vida.

E ele ia ficar ali, a ver a sua vida passar sem chegar à próxima paragem.

Estava na hora de levantar a bandeira e deixar o comboio partir.

Apertou-a com força nas suas mãos. Largou-a, deixando-a cair.

Entrou no comboio, sentindo a porta fechar-se nas suas costas.

A vida era ele que a traçava.

No bolso apenas a carteira e o telemóvel.

Na mão o seu bilhete dourado.

No coração a excitação de um recomeço.

A viagem da sua vida estava prestes a começar.

© Fox 2017 #69Letras

15 Minutos

Qual a possibilidade de seres melhor do que a minha expectativa?
Não julgava possível até ao momento que te vi, te ouvi, que te olhei nos olhos e apreciei toda a tua beleza.
Desde o sorriso ao olhar, à inteligência das tuas palavras, ao tom da tua voz e pela forma como seguras o cigarro, tudo isso me leva a querer te ver novamente.
Foram 15 minutos mas acredita que pareceram 15 segundos, e nesse pequeno período de tempo fiquei feliz e contente por poder imaginar como serás nos próximos 15…
Até já…

© O Vizinho #69Letras 2017

Pai de Minha Mãe

“Mãe mãe mãe!!”
Bem chamo por ti mas tu não respondes, nada dizes… Preciso de ti e tu não estás aqui…
Nem sempre foi assim. Sempre que precisei de ti estiveste lá para me acudir e me dar mimos. Mas agora a história é outra. Quem precisa és tu, quem necessita de cuidados és minha Querida e Adorada Mãe! Se soubesses o quanto me dói ter que te lavar, preparar a tua refeição e dar-te de beber…
Chegou a minha vez, não é Vida? “Filho és, Pai serás!” sempre me disse meu Pai.
Mãe, neste dia de celebração deveríamos estar num restaurante todo fino e elegante mas preferimos ficar no teu quarto, tu na cama e eu na poltrona e desta forma celebramos o teu dia, o dia da Mãe.
Mas para nós é isto todos os dias…
Feliz dia Mãe mulher da minha vida…

© O Vizinho 2017 #69Letras

De férias mas perto do teu corpo

Texto Erótico|M18

Estamos de férias, finalmente.
Escolhemos Varadero. Clima quente, as melhores praias, ideal para relaxar depois de um ano inteiro de trabalho.
Estamos casados à 2 anos, dois Touros, dois teimosos mas muito apaixonados. Desde o primeiro momento que nos conhecemos que nunca mais desgrudamos, não saberia viver sem ti.
Chegamos ao hotel, pousamos as malas e fomos a correr como dois adolescentes para a praia… é fantástica, e como era de esperar, areia branca, mar azul turquesa, música cubana invade o ar, cheira a verão e estou neste paraíso com o meu amor.
Tu corres para o mar, deitas a t-shirt para o chão e entras a mergulhar. Eu sento-me numa das espreguiçadeiras a observar-te ainda a captar tudo o que me rodeia.
Estou feliz… sou uma mulher de sorte, e tu estás lindo nessa tua pele morena, corpo magro ligeiramente musculado, estou a adorar a vista!
Apercebes-te que te olho com safadeza e desafias-me a entrar na água.
Vou ao teu encontro, a água está quente como era de esperar… Tu estendes a mão para mim e olhas-me nos olhos, esses olhos pequenos cheios de ternura, que ficam ainda mais verdes quando estás moreno.
Puxas-me para ti e beijas-me com intensidade… ahhh! Esses lábios carnudos como adoro.
Envolves-me num beijo demorado sugando-me os lábios…  Fiquei acesa só com o beijo e apercebo-me da erecção visível nos teus calções. Esse pau já chama por mim. Agarro-o dentro dos teus calções e ponho o para fora, adoro vê-lo, é enorme, viril. Começo a masturbar-te, estamos com a água pela cintura, tem pouca gente na praia estamos em Setembro e já não tem tantos turistas.
Tu puxas a parte de cima do bikini para baixo, queres os meus seios, estão arrepiados para ti, pegas-me no ar e pões-me no teu colo, com as minhas pernas abraço a tua cintura, chupas os meus seios um de cada vez e mordes, tu sabes o que eu gosto, sabes como me fazer gemer.
Beijas-me sem parar.
De repente apercebemo-nos de alguma agitação à nossa volta e gritos vindos da praia… olhamos para ver o que se passava, vinha aí tempestade, ficou o céu negro de repente, chuva e vento vinham na nossa direção, as pessoas fugiam do temporal com receio… Tolas…
Eu quero aproveitar tudo, até este temporal, duas tempestades no meio da água… fiquei ainda mais exitada pela situação toda… não podemos parar, e sem demoras puxas a minha cueca do bikini para o lado e entras em mim… começas as tuas investidas fortes, ahhh! como adoro senti-las! Agarras o meu rabo e ficam ainda mais fortes enquanto mordes o meu seio…
Eu cravo as unhas nas tuas costas e gozamos em uníssono, foi sempre uma das nossas características e é maravilhoso sentir o teu pau a jorrar dentro de mim enquanto a minha vagina se contrai em torno dele ordenhando tudo para mim.

Ficamos assim parados a olhar nos olhos, “dizemos tantas coisas assim, não é? ”
No meio daquela tormenta o que acaba de acontecer foi fenomenal, ficando uma sensação de plenitude dentro de nós… Sempre foi uma das minhas fantasias e talvez por isso tenha sido tão bom.
Voltamos para o quarto sem pressas de mãos dadas no meio daquela chuva toda.
Entramos, tu abraças-me e dizes-me “Amo-te mais que tudo nesta vida… ”
Adoro quando me olhas assim.
“És tudo para mim, meu mundo, Amo-te”

Nefertiti