Arquivo da Categoria: Miss Steel

Miss Steel é intemporal, nao tem religião ou estado civil. Não é loira nem morena. Gorda ou magra tão pouco.
Miss Steel dá voz a todas as mulheres e opina como tal.
Vejo na escrita um escape para a rotina do dia a dia e para purificar-me a alma.
Dá-me imenso prazer escrever de maneira simples e por vezes até um pouco visceral misturado com humor.
A personagem Miss Steel pouco tem a ver com a pessoa que lhe dá vida. Mas as semelhanças não deixam de ser evidentes…

Nossa gordura não deve nada a ninguém!

Todos os dias me olho ao espelho e vejo isto.  Ainda esfrego os olhos, na esperança que eles sofram de algum síndrome de aumento mas não. 

Aquela no espelho sou eu e aquela arrasta o meu eu para a lama.
Complexos? Não! Vergonha? Muito menos!
É o reflexo daquela nos outros que me atinge. Porquê?
Porque deixo de ser “a” para ser “uma”. Perdemos a identidade na gordura…
E se não temos identidade, não somos membros da tal dita sociedade onde a minha palavra talvez até fizesse diferença. Quanto mais não fosse para os meus…

Deixamos de ser mulheres para sermos seres gordos sem interesse. Seres incapazes, ignorantes, insensíveis e desinteressantes.
É assim que a sociedade ainda nos vê.
A sociedade que critica, julga e condena.

Eu até me estou pouco marimbando para a sociedade mas os efeitos na geração do amanhã preocupa-me.
Sim, além de ser gorda sou mãe.
Uma mãe que dedica mais tempo aos seus que a si própria, sei. Mas não deixo de ser gente! E também sou sexy, sensual e até, espantem-se agora membros da sociedade critica, capaz de proporcionar e ter prazer.

Passo também a avisar que a minha gordura não roubou nada a ninguém, não vende droga a adolescentes, não matou em nome de pseudo religiões ou por psicopatismo, não violou nenhuma criança ou adulto e muito menos agride fisicamente ou verbalmente arbitrariamente em casa!

PORQUE ISSO É QUE É VERGONHA!

Dito isto, é justo dizer que a minha gordura, igual à de tantas outras pessoas, não deve nada a ninguém! Pode sair à rua orgulhosamente e de cabeça erguida!
Portanto, abram alas e deixem-na passar!

©Miss Steel 69Letras 2017

Chuva que lava almas e purifica mentes

Será que um dia caminharemos juntos, lado a lado contra  todas as probabilidades, debaixo da mesma chuva que nos lava das almas nossos egos exaltados?

Será que um dia saberemos o que a vida nos reservou contrariarando todos os “se” que ao longo da mesma  fomos inventando?

Para já vamos andando. Ao soluçar do dia a dia que se arrasta entre sonhos e fantasias.

A passos de bebé.
Porque a perfeição leva tempo e o tempo custa-nos energia e paciência.

Com calma. Sem pressas e correrias amigas do caos eminente das nossas vidas.

Para que aquele dia chegue. Aquele dia em que caminharemos lado a lado, com a chuva a livrar-nos do supérfluo e juntos abraçaremos amor incondicional.

 

©MissSteel 69Letras 2017 

 

Boca selada, loucura encerrada.

Quem já não se babou  de frente a uma montra de doces? Com diabetes em alta e a linha por cuidar… 

Fod@-s3 que a vida é uma armadilha! 

Ciladas por todos os cantos. 

Com tanto vício e pecado, o que nos resta fazer? Ler a Bíblia? 

Eu cá prefiro as minhas 69 Letras! E quem tiver problemas com isso, que vá vender chuchas… 

Quero mais é que me deixem em paz.  Que não me cobicem a comida do prato ou os lençóis da cama. 

Deixem o meu silêncio em paz também. Se não me compreendem, não me fod@m o juízo também. 

Deixem-me estar sossegada porque não vou desinquietar ninguém.  

Nesta minha loucura… Só se entra por convite. 

 

©Miss Steel 69Letras 2017 

Desistir de sentir

Ela não sentia.
Apesar das marcas evidentes no rosto e do rasto de sangue que seu corpo involuntáriamente denuncia.
Anestesiada e sem fôlego.

Encolhida num canto de um quarto qualquer. Onde o espaço lhe é estranho e desconfortável. Mas isso pouco importa. 

Tudo o que ela vê é um vazio enorme à sua volta onde a vida perde cor e o ar não se respira. Um buraco de maneira macabra, familiar. 

Não sente. Por muito que a dor se intensifique até à exaustão do corpo. Não sente. O mundo já não gira, será isso? 

De olhar imóvel e alheio ao mundo, ela deixou de sentir. Porque o sentir a matou por dentro numa morte lenta e sem sentido. 

Quanto tempo mais dura esta dormência? Será salva num declive? Abandonada na valeta sem um único olhar se sentir? 

 

©Miss Steel 69Letras 2017 

 

 

Supera-te!

Este é o teu tempo! O tempo certo. O tempo ideal para derrubar barreiras e conquistar fronteiras. 

Concentra-te! Focaliza o teu objectivo! Está ali, vês?
Tua mente já bate com os punhos na mesa, é agora ou nunca!
Deixa-te de desculpas. Desistir tão pouco é uma opção!
Respira fundo! Ignora o teu redor.
A vitória aguarda-te faz tempo. Vamos lá!
Basta avançares. Mexe-te em direção ao pódio. Foi feito à tua medida. Já te pertence. Só falta o primeiro passo. O teu.
Não antecipes a glória. Não substimes o adversário. Ele está lá. E fará de tudo para arrancar o pior de ti.
Agora respira. Abranda teu ritmo. Focaliza-te.
Preparado?
1,2 e 3! Vai!

©Miss Steel 69Letras 2017

Vendida pelos genes

Vendida! Desprezada ou posta de parte. Por quem? 

Por quem me tinha como garantida, chamam-lhe família…  Continuar a lerVendida pelos genes

Quanto vale uma vida humana?

Pedido de evacuação à população… 

” Não saímos daqui! Lutamos até ao fim! Temos de proteger as nossas casas e os nossos terrenos! Não saímos daqui…” Continuar a lerQuanto vale uma vida humana?