Arquivo da Categoria: Raio de Sol

Tive um sonho

Tive um sonho… E nele tu eras meu!
Tive um sonho e nele o mundo resumia-se a nós, às curvas da nossa paixão a envolver os nossos corpos…
Tive um sonho e nele encontrámos a formula da loucura tão ao nosso alcance que os meus pensamentos eram todos teus. A tua boca na minha. As tuas mãos a apertarem-me os mamilos. O teu corpo a aprisionar o meu. A tua habilidade para me dar prazer. É uma avalanche de sensações sem fim que só os arrepios na minha pele comprovam o que as palavras não conseguem exprimir.
Tive um sonho e nele contrariámos a matemática, porque somos 1 ao juntar 1+1. Contrariámos a vida até que sempre quis que fossemos 1-1. E quando somos 1+1=1… Somos o infinito. A eternidade. A invencibilidade.
Tive um sonho…

©Raio de Sol 2017 #69Letras

Não somos super heróis!

Nem sempre o dia começa ou acaba como imaginamos. Marca-se um jantar, uma ida ao cinema, um jogo de futebol ou uma noite de filmes no sofá com direito a pipocas, mas o telefone toca… E se não tocar, ao longe ouve-se o som da sirene que provoca sempre aquele arrepio.
O dever chama e fica tudo para trás, o jantar , o futebol, o cinema, os amigos, a familia, o sossego de um dia ou noite que tinha tudo para ser normal.
No caminho até ao quartel a adrenalina começa a correr nas veias. E depois não há tempo para pensar em muito. No quartel já se ouvem os carros a trabalhar, à nossa espera. Já se vê os colegas a correr num ritmo frenético para nada ser esquecido. Outros a correr para trocar de roupa, calçar as botas e pegar no material de proteção que é necessário.
Até que corremos para o carro que nos levará ao inferno. É uma palavra forte, bem sei, mas acreditem que o é.
Temos um equipamento especial para combate a incêndios que não é um fato de super herói. O calor é de tal forma infernal que sentimos a pele quase a queimar por baixo da roupa. Passamos horas a fio num combate sem tréguas, tantas vezes mal ou pouco alimentados e hidratados. É um esforço desumano passar 12, 20, 30 horas nesta luta desigual. São noites sem dormir, descanso pouco ou nenhum, o calor, o desgaste…
É devastador não conseguir vencer as chamas e vê-las levar o que as pessoas demoraram uma vida a construir. Arriscamos tanto para salvar o que não é nosso, mas lutamos como se fosse! Às vezes corre bem, outras vezes nem por isso e aí temos que correr atrás do prejuízo. Nesse momento nem se pensa… Quando temos que fugir por baixo de um mar das chamas, quando temos que tomar uma decisão de “vida ou morte”, quando o fumo já não nos deixa ver nada e respirar já se torna dificil, quando olhamos para trás e até as mangueiras já arderam.
Não procuramos agradecimento pelo que fazemos, eu pelo menos vejo as coisas assim. O que me custa mesmo é quando nos criticam, sem pensarem que por baixo da farda vermelha e azul existe uma pessoa.
Uma pessoa! Que tem a família preocupada em casa à espera do regresso. Que deixou tudo para ajudar sem olhar a quem. Que está ali a dar o seu tempo em troca de nada. Que por vezes já está num nível extremo de cansaço e nem assim baixa os braços.
Continuamos sempre, apesar de tudo.
Não somos super heróis, mas temos que agir como se fossemos.

 

Muita força para todas as famílias que perderam os seus entes queridos.

©Raio de Sol 2017 #69Letras

Escolhi o amor

Sou pelo amor.

Escolhi o amor.

Escolhi o amor apesar de tantas vezes me fazer sofrer. Apesar das noites em que a minha solidão é invadida pelo silêncio, pelas lágrimas que me beijam a pele.

Apesar dos bons momentos durarem menos do que um segundo. Apesar de me perder todos os dias na vontade de um beijo que teima em não chegar.

Escolhi o amor apesar da esperança, a força e o acreditar, serem palavras vãs na minha cabeça. Apesar do sofrimento ser o suportável do insuportável.

Ainda assim, sou pelo amor. O caos dos meus pensamentos anseia pelo sossego de um abraço, pela serenidade de uma noite de verão em que possa adormecer nos teus braços.

Cabeça tonta a minha que quer tanto um amor.

Um amor puro.Verdadeiro. Doce. Infinito.

 

©Raio de Sol 2017 #69Letras

Como vamos voltar?

M18 | Texto erótico

“Parabéns a você, nesta data quer…”, olho-te de relance e vejo-te fazeres-me sinal para ir ter contigo. A minha voz desaparece do coro que canta os parabéns à nossa amiga, e em três tempos desapareço também eu dali.
Um pouco confusa, procuro-te no corredor. Está escuro e não te vejo em lado nenhum. Um barulho ensurdecedor vem da sala com copos a bater uns nos outros, gargalhadas, conversas em tom mais alto… Mas nada de ti.
Começo a pensar que estou a ficar louca e volto para trás, mas assim que me viro sinto o teu braço à volta do meu peito, puxando-me para uma sala escura e cheia de livros.
Fechas a porta e empurras-me logo contra uma dessas estantes atoladas de páginas e páginas de história. Beijas-me sofregamente o pescoço e começas a despir-me.
– O que é que estás a fazer?! – pergunto eu a sentir a adrenalina a correr-me pelo corpo.
– Sabes bem o que estou a fazer! – respondes-me com um sorriso triunfante.
– Está aqui muita gente, isto não é boa id… – calas-me com um beijo e a partir daí entrei no modo quero-lá-saber-dos-outros!
Pus os braços à volta do teu pescoço e as pernas à volta da tua cintura, para nos mudarmos para o sofá. Ancorada em ti, não perdemos um segundo nesse trajecto. Se já estava doida, ainda mais fiquei…
Quase como se estivesse noutro mundo, ouvia ao longe toda aquela gente a confraternizar na sala. Alguém teria dado pela nossa falta?
Não importa! Deitas-me no sofá e serves-te do meu corpo, como tu gostas. Como eu gosto. Levas-me à loucura sempre que usas os lábios, a língua e os dentes para brincar comigo. Sinto-me a ferver! Sinto-me a ressacar de ti! Desejo-te tanto que perco completamente a noção de tudo o resto.
– Fode-me! Vá lá! Pára com isso! – Imploro…
Obedeces… Mas percorres o meu corpo com pequenos beijos até alcançares os meus lábios. Sinto o meu sabor misturado com o teu e ao mesmo tempo, sinto-te a entrar em mim.
Hum… Uma imensidão de sensações novas apodera-se do meu corpo. O teu vai vem constante, passa para o modo acelerado e só não grito porque me tapas a boca. Abafas o som do meu prazer e o meu orgasmo explode quase ao mesmo tempo que o teu. Intenso, forte, libertador.
Olhamos um para o outro e estamos mesmo com ar de sexo!
Como vamos voltar para a festa?

©Raio de Sol 2017 #69Letras

Solidão

Há uns bons anos atrás, eu dizia que a solidão me assustava. E assustava mesmo!
Hoje já não me assusta. Hoje vive lado a lado comigo!
Às vezes é a minha companhia! É confortável. É a minha paz e o meu sossego. Outras é a mais pura das torturas. O lugar vazio ao meu lado enquanto almoço. O lugar vazio ao meu lado enquanto conduzo. O silêncio que existe quando me deito. O não existir ninguém para partilhar o meu dia. O vazio que há na minha vida.
A solidão quando é uma escolha não é solidão! É uma opção! A solidão dói. Mói. Desagasta. Deixa-nos tristes. Infinitamente tristes. Os dias passam a ser todos iguais. Os sonhos começam a desaparecer. Os pensamentos passam a ser destruidores.
A solidão despe-me a alma. Deixa-me nua. Desprotegida. Frágil. Perdida.
Há dias em que quero estar sozinha. Faz parte de nós termos o nosso espaço. Mas há outros dias, muitos dias, em que não quero. Não quero mesmo. Mas olho à minha volta e lá está ela, em cada canto do meu quarto. Em cada piscar de olhos. Em cada minuto que o relógio marca, tal como agora… Está na hora de ir dormir e ela já está a minha espera.
Shhhhh….

©Raio de Sol 2017   #69Letras

Hoje eu quero!

Texto erótico| M18

Hoje eu quero os meus olhos nos teus. Quero que me seduzas com o olhar e me faças estremecer só por saber o que tencionas fazer-me. Os teus olhos queimam quando o desejo ocupa toda a tua cabeça.

Tu queres e eu também quero! Simples assim.

Hoje eu quero que me dispas com urgência, que me deixes despir-te ao mesmo tempo. Já perdemos tanto tempo, meu amor! Agora eu quero tudo já, sem perdas de tempo. Deixa-me nua, deixa-me pronta para ti. Sente como o meu corpo ferve, sente como me deixas…

Eu quero e tu também queres!

Hoje eu quero que me digas ao ouvido que me queres, quero que me digas o que vais fazer, quero que a tua voz ecoe no meu corpo e me faça vibrar. Só com palavras deixas-me louca por ti…

Tu queres e eu também quero!

Hoje eu quero que me apertes, me mordas, me beijes, me possuas, me domines… Quero que me deixes exausta, mas bem fodida.

Hoje eu quero. E prepara-te porque vou ter!

©Raio de Sol 2017, #69Letras

Saudades

As saudades desenham o teu nome na minha pele, com a ponta afiada de uma faca. Se não é, dói como se fosse!
As saudades acrescentam horas ao meu dia, dias às minhas semanas e semanas ao meus meses. Se não é, juro que parece!
As saudades fazem-me ver-te em todo o lado. Não és tu, mas eu fico nervosa como se fosses!
As saudades mostram-me sempre o quanto te amo e o quanto sinto a tua falta. Não precisava porque não tenho duvidas, mas acontece!
A saudades não matam, mas tem dias que fazem um buraco enorme no peito. É como se a alma estivesse vazia. Não está, mas é como estivesse!
As saudades, ai as saudades…

©Raio de Sol 2017 #69Letras