Arquivo da Categoria: Raio de Sol

Como vamos voltar?

M18 | Texto erótico

“Parabéns a você, nesta data quer…”, olho-te de relance e vejo-te fazeres-me sinal para ir ter contigo. A minha voz desaparece do coro que canta os parabéns à nossa amiga, e em três tempos desapareço também eu dali.
Um pouco confusa, procuro-te no corredor. Está escuro e não te vejo em lado nenhum. Um barulho ensurdecedor vem da sala com copos a bater uns nos outros, gargalhadas, conversas em tom mais alto… Mas nada de ti.
Começo a pensar que estou a ficar louca e volto para trás, mas assim que me viro sinto o teu braço à volta do meu peito, puxando-me para uma sala escura e cheia de livros.
Fechas a porta e empurras-me logo contra uma dessas estantes atoladas de páginas e páginas de história. Beijas-me sofregamente o pescoço e começas a despir-me.
– O que é que estás a fazer?! – pergunto eu a sentir a adrenalina a correr-me pelo corpo.
– Sabes bem o que estou a fazer! – respondes-me com um sorriso triunfante.
– Está aqui muita gente, isto não é boa id… – calas-me com um beijo e a partir daí entrei no modo quero-lá-saber-dos-outros!
Pus os braços à volta do teu pescoço e as pernas à volta da tua cintura, para nos mudarmos para o sofá. Ancorada em ti, não perdemos um segundo nesse trajecto. Se já estava doida, ainda mais fiquei…
Quase como se estivesse noutro mundo, ouvia ao longe toda aquela gente a confraternizar na sala. Alguém teria dado pela nossa falta?
Não importa! Deitas-me no sofá e serves-te do meu corpo, como tu gostas. Como eu gosto. Levas-me à loucura sempre que usas os lábios, a língua e os dentes para brincar comigo. Sinto-me a ferver! Sinto-me a ressacar de ti! Desejo-te tanto que perco completamente a noção de tudo o resto.
– Fode-me! Vá lá! Pára com isso! – Imploro…
Obedeces… Mas percorres o meu corpo com pequenos beijos até alcançares os meus lábios. Sinto o meu sabor misturado com o teu e ao mesmo tempo, sinto-te a entrar em mim.
Hum… Uma imensidão de sensações novas apodera-se do meu corpo. O teu vai vem constante, passa para o modo acelerado e só não grito porque me tapas a boca. Abafas o som do meu prazer e o meu orgasmo explode quase ao mesmo tempo que o teu. Intenso, forte, libertador.
Olhamos um para o outro e estamos mesmo com ar de sexo!
Como vamos voltar para a festa?

©Raio de Sol 2017 #69Letras

Solidão

Há uns bons anos atrás, eu dizia que a solidão me assustava. E assustava mesmo!
Hoje já não me assusta. Hoje vive lado a lado comigo!
Às vezes é a minha companhia! É confortável. É a minha paz e o meu sossego. Outras é a mais pura das torturas. O lugar vazio ao meu lado enquanto almoço. O lugar vazio ao meu lado enquanto conduzo. O silêncio que existe quando me deito. O não existir ninguém para partilhar o meu dia. O vazio que há na minha vida.
A solidão quando é uma escolha não é solidão! É uma opção! A solidão dói. Mói. Desagasta. Deixa-nos tristes. Infinitamente tristes. Os dias passam a ser todos iguais. Os sonhos começam a desaparecer. Os pensamentos passam a ser destruidores.
A solidão despe-me a alma. Deixa-me nua. Desprotegida. Frágil. Perdida.
Há dias em que quero estar sozinha. Faz parte de nós termos o nosso espaço. Mas há outros dias, muitos dias, em que não quero. Não quero mesmo. Mas olho à minha volta e lá está ela, em cada canto do meu quarto. Em cada piscar de olhos. Em cada minuto que o relógio marca, tal como agora… Está na hora de ir dormir e ela já está a minha espera.
Shhhhh….

©Raio de Sol 2017   #69Letras

Hoje eu quero!

Texto erótico| M18

Hoje eu quero os meus olhos nos teus. Quero que me seduzas com o olhar e me faças estremecer só por saber o que tencionas fazer-me. Os teus olhos queimam quando o desejo ocupa toda a tua cabeça.

Tu queres e eu também quero! Simples assim.

Hoje eu quero que me dispas com urgência, que me deixes despir-te ao mesmo tempo. Já perdemos tanto tempo, meu amor! Agora eu quero tudo já, sem perdas de tempo. Deixa-me nua, deixa-me pronta para ti. Sente como o meu corpo ferve, sente como me deixas…

Eu quero e tu também queres!

Hoje eu quero que me digas ao ouvido que me queres, quero que me digas o que vais fazer, quero que a tua voz ecoe no meu corpo e me faça vibrar. Só com palavras deixas-me louca por ti…

Tu queres e eu também quero!

Hoje eu quero que me apertes, me mordas, me beijes, me possuas, me domines… Quero que me deixes exausta, mas bem fodida.

Hoje eu quero. E prepara-te porque vou ter!

©Raio de Sol 2017, #69Letras

Saudades

As saudades desenham o teu nome na minha pele, com a ponta afiada de uma faca. Se não é, dói como se fosse!
As saudades acrescentam horas ao meu dia, dias às minhas semanas e semanas ao meus meses. Se não é, juro que parece!
As saudades fazem-me ver-te em todo o lado. Não és tu, mas eu fico nervosa como se fosses!
As saudades mostram-me sempre o quanto te amo e o quanto sinto a tua falta. Não precisava porque não tenho duvidas, mas acontece!
A saudades não matam, mas tem dias que fazem um buraco enorme no peito. É como se a alma estivesse vazia. Não está, mas é como estivesse!
As saudades, ai as saudades…

©Raio de Sol 2017 #69Letras

Quero!

Texto erótico | M18

Quero que me beijes mais. Que me deixes os lábios dormentes. Que me faças esquecer o mundo em cada beijo.
Quero que me mordas mais. Que me deixes marcada por dias e dias. Que o faças sem medo.
Quero que me sussurres mais ao ouvido. Palavras quentes. Excitantes. Segredos secretos.
Quero que me domines. Amarra-me. Prende-me em ti. Castiga-me.
Quero que me abraces com força. Com carinho e desejo.
Quero que me deixes sentir a tua língua. Quente. Devagar. Habilidosa.
Quero que me deixes sentir-te em mim. Com amor e violência.
Quero que me trinques os mamilos. Com doçura, com fome e vontade de mim.
Quero que me beijes o corpo todo. Que me deixes molhada só de sentir os teus lábios na minha pele.
Quero que me leves à loucura. Com amor ou com sexo. Quero cravar as minhas unhas na tua pele. Quero gemer. Quero gritar. Quero provar o prazer puro contigo.
Só contigo…

©Raio de Sol 2017 #69Letras

 


Já não estou…

Estou aqui.
Estou aqui contigo, mas quando abrires os olhos eu já não vou estar deitada ao teu lado.
Cedi à tentação de ser tua, mas agora preciso ir… Preciso fugir do pecado que tu és, da loucura que é dar-te o meu corpo sem pensar duas vezes…
Já não estou aí.
Já não estou aí mas levo comigo as marcas das tuas mãos cravadas na minha pele quando o desejo se tornou quase impossível de suportar. Levo na memória os nossos gemidos em uníssono. Levo o corpo ainda dormente. Levo o teu cheiro. Levo a vontade de te ter, mais do que satisfeita.
Quero ficar, mas preciso ir. Não posso ficar dependente do teu corpo. Não posso ficar e desejar-te 24horas por dia. Não posso amar-te, mais do que amo. Não posso esquecer a vida lá fora e fazer de ti a minha vida. Não posso seguir o coração. Hoje não…
Não posso…

©Raio de Sol 2017 #69Letras

Viagens de prazer

Texto erótico | M18

São vinte e duas e cinquenta e seis. Temos ainda muitos km pela frente, mas vamos em silêncio. Ok, eu confesso que vou calada para reprimir tudo o que estou a sentir.
Tivemos uma discussão enorme antes de sair e eu estou amuada. Tenho esse direito! Mas o meu corpo não está e continua a desejar o homem que vai sentado ao meu lado a conduzir, como se o mundo fosse acabar amanha.
Quero-o tanto que às vezes nem consigo pensar direito!
Quero-o tanto que às vezes atiro as nossas chatices para trás das costas, só para o ter dentro de mim.
E esse desejo estava a pairar sobre mim. Vê-lo tão concentrado, com aqueles braços musculados a segurar firmemente o volante… Ah, já o imagino a agarrar-me assim. Já me sinto molhada! Merda!
Para de pensar! Para de pensar! Para de pensar!
Quem me dera conseguir… Olho-o pelo canto do olho, mordendo o lábio inferior. A vontade de lhe saltar para cima, já é maior do que a mágoa que eu sentia quando iniciámos a viagem.
– Quando puderes encosta. Estou um pouco mal disposta e preciso apanhar ar. – Pedi-lhe, olhando para as árvores que passavam diante dos meus olhos a alta velocidade. Não podia olhar para ele. Ele conhece bem o meu olhar sedento de sexo.
Parámos a poucos metros. Nada me disse. Saí do carro e fui, de facto, apanhar ar. Estava frio e era mesmo o que estava a precisar para arrefecer o meu interior. Encostei-me à traseira do carro e ali fiquei por uns bons pares de minutos.
Assim que achei que já estava fria o suficiente para terminar a viagem, decidi voltar.
– Está tudo bem? – Perguntou ele tentando não demonstrar qualquer sentimento.
– Sim. Podemos continuar.
E continuamos. E o meu desejo também continuou. Raios! Desisti de lutar contra ele, quando me cheguei para a ponta do banco e sem dizer qualquer palavra, lhe desapertei o botão das calças. Depois abri o fecho. Depois puxei os boxers para baixo e… Vi-o engolir em seco! Hum… Posso avançar!
Sem dizermos nada, arranjei forma de me baixar e de me dedicar àquele pedacinho dele que me leva à loucura tantas vezes. Quanto mais o ouvia praguejar e gemer mais vontade me dava de lhe roubar um orgasmo assim mesmo. E consegui, mas só depois de ele parar o carro.
Missão cumprida. Ajeitei o cabelo, limpei os lábios com as costas da mão e estava pronta para seguir viagem.
Ok, não não estava! Estava pronta era para  mais acção. E ele sabia disso… Mal consegui usufruir do meu triunfo alcançado minutos antes e já ele me estava a puxar para sair do carro e me sentar no banco de trás.
Ah, finalmente! Numa fracção de segundos, já havia roupa espalhada, palavras quentes trocadas, a boca dele nos meus seios, a mão dele a brincar com o meu clitóris, e eu a gemer. A implorar para ele me foder, sem dó nem piedade.
Só ele sabe como eu gosto de sexo sem romantismos à mistura. E o meu desejo era tão grande que em minutos, presa naqueles braços musculados, fui invadida pelo prazer no seu estado puro.
Uma e outra e outra vez….

#RaiodeSol 69Letras® 26.02.2017