Arquivo da Categoria: Contos Eróticos

Momento meu

Texto Erótico|

Preciso… Estou com vontade, sinto muita necessidade… Queima-me a pele, lateja-me o s3xo e gotejo…

Estou só, apenas com o som do meu desejo a zumbir na minha mente… Toco-me. Hoje lenta, endiabradamente lenta…
Começo pelo pescoço, a pele sensível exposta, a nuca escondida por entre os caracóis dispersos na almofada… Desço. Rodeio os seios nus e erectos, usando as unhas de forma suave, causando um arrepio que me desce os flancos e se aloja nas ancas que se meneiam instintivamente.

Tenho dois botões a apontar em direções diferentes e aperto-os, dirigindo o prazer para dentro. Um aperto, uma torcida… Sinto-me pronta mas ainda não é tempo… Mais um pouco disto…

Ladeio o meu tronco apertando-me, quase uma massagem de compressão que se queda pelos quadris… Volto ao toque subtil para rodear púbis, as coxas… Viro-me de barriga para baixo e ataco de novo… O rabo… Trabalho-o um pouco e afasto as bochechas deixando o ar tocar a minha zona mais tropical… Passo-lhe um dedo… Está pronta, suculenta…

Viro-me novamente de costas e abro as pernas… Estou em ponto rebuçado… Aperto os lábios enquanto mordo os meus… A quantidade de energia a pedir para ser liberta é estonteante e sinto-a percorrer-me…

Finalmente toco no ponto de ebulição… Está quente, pulsante… A espera a que me obriguei deixou-me quase selvática. Seguro-me pela anca enquanto trabalho o clitóris e por fim, quando estou quase a atingir o clímax meto dois dedos. Balanço-me ao ritmo do meu prazer e solto-me num orgasmo violento e pacificador… Acaricio-me…

Este momento foi meu, meu para me aliviar, meu para cuidar de mim… Eu mereço… Fico aqui mais cinco minutos a apreciar estes instantes de paz, de deleite…

O mundo pode esperar…

#VickyM #69letras

Sigam-me também na página PlaceYourFeelings

Dona Flor e seus dois…

Texto Erótico 🔞

Os meus olhos estão fechados, a minha pele a ferver… Sinto o calor entre pernas e a língua que me explora… Estou em transe…
Mãos que me percorrem o corpo, dedos que se fecham como ganchos à volta dos meus mamilos. Solto um gemido no limiar da dor e do prazer e sou calada com um beijo. Essa mesma boca percorre-me do queixo aos seios, detendo-se por instantes no meu pescoço…

A doce tortura do meu sexo não cessa e estou em overdose de sentidos. Dedos entram em mim e não consigo conter o orgasmo que explode numa boca gulosa.

Essa é a boca que me beija agora… Sinto o meu gosto, delicio-me naqueles lábios cobertos do meu prazer e já outros me beijam… lá em baixo… Suaves, carinhosos… Anseio aquele membro na minha boca e devolvo a gula que me foi presenteada… Chupo e sugo enquanto sou apaziguada por língua e mãos suaves que me têm em ponto caramelo…
Sinto-me escorrer, estou pronta, estou a pedir com as ancas, empurrando, gritando com todo o meu corpo já que uma senhora não fala de boca cheia e, deuses, se quero continuar a degustar o manjar que me preenche o palato…

Vem a primeira estocada, estremece o meu mundo. Aguento, quero mais, com mais força, mais cadência. Ah, recordo bem este encaixe, a forma como me segura as ancas e me sente toda por dentro… Absorvo tudo, sorvo tudo… Sinto a glande contornar-me os lábios como um batom e ponho a língua de fora… Menina arisca, gulosa que gosta de saborear o prato todo… Tenho a cabeça quase suspensa e depois de me lambuzar naquela delícia sou tomada pelo meu sabor outra vez, agora noutra forma…

Sou preenchida novamente… Sou tomada uma e outra vez e gozo uma e outra vez, eles têm-me deleitada, molhada, aberta…

Dou por mim encaixada entre os dois a recebê-los enquanto me tocam a pele suada… Um último arquear de costas segura pelo pescoço e pelos quadris ditam um orgasmo a três… Intenso, gotejante, envolvente…
Sou dona Flor e adormeço enroscada entre pernas e peitos, esgotada, saciada…

©VickyM 2017 #69Letras

Autora da página Place Your Feelings

M18 | Visita de médico | Por: Deusa Isthar

 

 

Acordei a pensar que estavas a bater à minha porta e que a tua visita de médico ia começar. Fui tomar banho e juntaste-te a mim e começaste a passar-me a esponja cheia de espuma por todo o meu corpo enquanto beijavas minha boca exigindo paixão, entrega, tesão… Depois, ajudaste a tirar toda a espuma do meu corpo apenas com as mãos, fazendo paragens estratégicas nos meus seios duros e nos meus biquinhos já entesoados com tanta vontade de te sentir. Sem deixares de me beijar, desces a tua mão direita para o meu clitóris e começas uma pequena massagem dedal que me leva logo ao rubro…contorço-me toda com aquela sensação louca de prazer e tu não páras. Desces, sobes, Desces, sobes, e entras sorrateiramente dentro de mim. Continuar a lerM18 | Visita de médico | Por: Deusa Isthar

Domino-te

TEXTO ERÓTICO M|18 󾬥 󾬥 󾬥󾬥 󾬥 󾬥
Hoje quero…
Só por hoje tens-me vestida de renda e salto alto,
Mas não serás tu a ter controle
Gostas?
Gostas quando a minha mão acaricia
todos os cantos do meu corpo.
Gostas, mas não tocas.
Irás ficar privado da tua visão
Irás ficar privado do teu paladar
Só terás permissão para sentir e cheirar

Continuar a lerDomino-te

O Bus das 7.00am

TEXTO ERÓTICO M|18 󾬥 󾬥 󾬥󾬥 󾬥 󾬥
Ela apanhava o bus sempre à mesma hora 7.00h.
Sempre elegante, discreta e senhora do seu nariz, educada como sempre cumprimentava o motorista e sentava-se à janela. Parecia que o lugar estava reservado sempre só para ela.
Todos os dias entrava naquele bus com um ar aluado, mas nesse dia não. ao entrar reparou na forma peculiar com que o motorista a olhava da cabeça aos pés, em segundos que pareciam minutos.
O lugar do costume estava ocupado, e foi-se sentar no lugar oposto. Reparou que o motorista a observava pelo espelho retrovisor.
Ela não conseguiu disfarçar um sorriso safado.
O caminho todo apercebeu-se dos olhares dele e, mesmo assim resolveu retribuir.

Continuar a lerO Bus das 7.00am

Fantasias a pedido

TEXTO ERÓTICO M|18 󾬥 󾬥 󾬥󾬥 󾬥 󾬥
Retribuição do desafio da #Lilith
A nossa amizade é curiosa, não é só colorida, é um verdadeiro arco-íris.
Passamos meses sem nos vermos, inevitavelmente assim que nos reencontramos acabamos nos lençóis, temos uma química surreal no bom sentido.
Nas tuas próprias palavras seríamos péssimos namorados, gostamos demasiado de controlar, personalidades demasiado rebeldes e independentes, como amantes somos fogo e oxigénio, combinação perfeita. Destemidos, aventureiros e acima de tudo sinceros mutuamente, comprometemos-nos a realizar as fantasias eróticas um do outro e, na verdade temos criado momentos mágicos e inesquecíveis.
 
Espero hoje realizar-te outro desejo.

Continuar a lerFantasias a pedido

Alguém na minha condição

Não adianta, não vale a pena! Não consigo f@der sem fazer amor!

Meu alter ego bem me guia para constantes engates, divertimentos one nigth stand mas meu corpo nega, meu Eu racional abana comigo e diz-me de forma subtil que não é disso que eu preciso.
De que vale uma lap dance quando o que eu preciso é de cafuné?
De que me vale uma noite de copos e folia quando o que eu quero mesmo é o sofá e Netflix com ela?
De que me vale despir o corpo quando não consigo despir a alma?
Nem todos sabem Amar e muito menos sabem f@der. Numa conversa saiu-me uma frase que agora uso:

“F@der é fastfood, fazer amor f@dendo é gourmet!”

Nunca esta expressão fez tanto sentido! Nunca na vida pensei em concordar tanto comigo!
É qual a causa disto tudo?
O que está por detrás deste dilema que me atormenta de uma forma tão subtil mas causa estragos tão grandes?
Ela. Aquela. Tu.

E esta cabeça de burro pensa de mais, age de menos e congela, não faz o que devia fazer.

Talvez por medo de mexer nos confins do meu coração e da minha mente… Ou medo de mexer com os dela, sabendo eu da sua condição. Estes receios levam-me a Friedrich Nietzsche, neste pensamento adaptado.
“Sou demasiado orgulhoso para acreditar que uma mulher me ame: seria supor que ela sabe quem sou eu. Também não acredito que possa amar alguém: pressuporia que eu achasse uma mulher da minha condição.

© O Vizinho 2017 #69letras