Todos os artigos de Lola Dolores

1 000 coisas

Poderia te dizer mil coisas,
mas o som da voz desvanece
e com o tempo o cérebro esquece.
Poderia te escrever mil coisas,
mas as linhas da caneta desaparecem
e o papel rasga-se.
É esquecido..
Mas olha…
Olha por uns instantes 
Deixa a tua alma e coração verem
Deixa ficar gravado em ti
Todos os mil gestos
Todos os mil olhares 
Todas as mil formas que te toquei
Que te demonstrei nesta década
Deixa o meu amor ser eterno
Em ti
Mesmo que o tempo nos separe
Deixa a tua alma carregar esse amor
Até ao nosso próximo reencontro
Até à próxima reencarnação.
©Lola 2017 #69Letras

O que há de novo para descobrir?

Julgam que é só os jovens que tem algo novo para descobrir, para aprender?
Engano
Mesmo quem envelhece tem sempre algo novo para descobrir.
Os jovens julgam que com o avançar da idade, que deixamos de sentir, de viver, de amar. Que vemos o mundo distorcido.
Ah! Como estão tão cegos, quanto ainda tem de aprender, ver.
A idade não nos envelhece em nada, simplesmente a nossa forma de pensar e ver a realidade é mais madura, mais ponderada.
Mas ao ser assim, não invalida que deixemos de cometer loucuras e atirarmos-nos de cabeça para determinadas decisões.
Enquanto os jovens vêem e jogam-se. Nós os mais maduros já fizemos o trajecto mental e aí… de pés assentes no chão lançamos os dados até fazer roll out.
Em novos temos aquela ânsia, aquele desejo voraz de fazer tudo, experimentar tudo.
Parem!! 
Não tenham pressa.
Porque quando chegarem à idade dos vossos pais, irão ser sedentários, vão olhar à vossa volta e perguntar.
O que há de novo para descobrir?
Nada..
Falo pela minha experiência, não gastem os vossos sonhos, as vossas experiências de uma só vez.
Fazei aos poucos, vivei. Apreciai o que cada momento, cada pessoa vos pode dar e transmitir.
Quando chegarem aos 40, 50, 60 irão olhar para trás e perguntarem-se já fiz tanto, realizei tudo o que gostava.
E, agora!… Agora que poderei descobrir?
Nada
As vossas vidas serão monótonas, cinzentas, sem sabor.
A única coisa, o único sentimento que é eternamente redescoberto, que persiste por todas as décadas é o Amor.
O Amor é algo que poderás sempre descobrir de novo, se for essa tua vontade.
Amar na juventude é intenso, impulsivo, arrebatador e por vezes passageiro.
Amar na idade madura é transcendente, bastar um olhar, um gesto e ambos sabem o que querem, o que desejam.
Não precisam de ser relembrados de como tem de amar a alma e o corpo.
Amar na velhice é doce, é uma brisa suave que te toca o rosto e te enche o coração de esperança e desejo.
© Lola 2017 #69Letras

A prenda

Texto Erotico M|18A🔞🔞
A caminho da casa da minha senhora, paro…
Levanto o rosto para o céu, sorrio.
Será hoje, que serei dela, serei o seu cachorro, o seu escravo.
Há tanto que ansiava por este momento…
Antes passo por uma sapataria e compro-lhe aquelas botas pretas, altas, até ao joelho…
Depois aquele vestido preto justo. Quero que se sinta a rainha, a minha rainha.
Chego ao prédio, subo… As minhas pernas tremem, o meu coração atinge um ritmo alucinante…
É a presença da minha senhora, aquela que me resgatou a alma e aguarda agora pelo meu corpo. O corpo que a irá servir…
Em frente à sua porta de casa, consigo ouvir os seus passos, sentir o ar do seu respirar…
O seu cheiro sai por baixo da porta. Adoro inalar o perfume que se misturou com a sua pele.
Estou excitado, sinto-me a ferver e louco de vontade de ser o seu cachorro.
Pouso o saco, tiro a coleira, coloco-a em mim…
Seguro na ponta da coleira. Toco à campainha.
A porta abre-se, o meu coração bate rápido, o
meu desejo aumenta…
Elogio a minha senhora. Olhando para o chão…
Ela sorri…
Ofereço-lhe a ponta da coleira que tenho. Agora sim, unidos por uma lealdade e servidão sem fim.
Ajoelho-me, vergo-me… ofereço-lhe as prendas que lhe comprei.
Aqui, minha senhora…
Serei seu, quanto o desejares. Servindo-a como quiser. Amando-a como desejar.
Aguardo as suas ordens…
Dobra-se, toca-me no queixo, fazendo-me levantar o rosto e olhar nos seus olhos. Ela sorri…
“ Vem meu cachorro…  “
E fui…puxado pelo elo que nos unia…
– Senta-te ai, como um bom menino. Já venho!
Deixei-o sentado no chão, enquanto ia ao quarto vestir o que o meu cachorro trouxe. A porta ficou entreaberta de proposito, comecei o ritual. Despi-me devagar, para faze-lo sofrer de ansiedade, fiquei em lingerie enquanto retirava o vestido e admirava o bom gosto daquele safado.
Pelo espelho, reparei que espreitava por entre a porta.
– Quem disse que podias espreitar? Baixa o focinho!
Virei-me e reparei no volume por cima do fato. Olhei-o com ar de reprovação. Baixou o olhar de cachorrinho arrependido. Sem se aperceber, sorri.
Resolvi fazer um teste para ver se me desobedecia.
Coloquei-me me forma a que me visse pelo espelho, e comecei a vestir-me mas de forma como se tivesse a acariciar-me. Detive-me no meio das minhas pernas. Olhei de relance, e lá estava ele a olhar e, com uma das mãos agarrar a verga, numa forma frustrada de o diminuir.
Terminei de me vestir. Coloquei as botas de cano alto, mais uma olhada no espelho. Perfeita!! Só falta mesmo a minha companheira inseparável a martinette.
Desta vez olhei diretamente para o espelho, e ele continuava a espreitar.
– O que te disse? Nada de espreitar! Hoje estas desobediente. Se continuas assim, castigo-te.
Fui buscar a trela, coloquei-a na coleira que trazia.
– Vem vamos passear! Quero desfilar o meu animalzinho de estimação e a prenda nova que me deu. Conforme te comportares poderás ter algo especial, quando regressarmos.
Vi-o colocar-se numa pose altiva de orgulho, satisfação. Como se dissesse que iria se portar bem e que merecia a recompensa.
Lindo menino! – Os nossos olhares se cruzaram como soubéssemos o que queríamos.
Meio envergonhado, baixou o focinho..
© Lola  & Submisso anónimo 2017 #69Letras

Não Fujas!

Não fujas,
Não te percas,
Não desistas,
Não estás só,
Fica,
Segura a minha mão
Juntos ultrapassaremos os obstáculos
Apoia-te em mim,
Não desistas,
Dançaremos nesta tempestade,
Sorriremos ao chegar da bonança
És tu quem eu quero
E eu sou quem tu desejas,
Não fujas,
Vê o que já percorremos,
Não desistas.
Lola 2017 #69Letras

Lágrimas

Percorro o beco mal iluminado, fazendo me lembrar onde outrora fui feliz.
Onde a minha infância era inocente, sem preocupações.
Só ali fui feliz.
Mas os retornos a casa eram um castigo, a vida que me deram e levei, não foram das melhores.
Pais ausentes, educação de rua, dos vizinhos.
Aprendi cedo o que era suportar o mundo nos ombros.
Tornei-me uma pessoa amargurada, fria, sem amor.
Amor, o que era isso??
Senti na pele e no corpo, tudo o que sou hoje.
Tornei-me num muro inpenetrável, nada nem ninguem me poderia atingir.
Mas a vida traz-nos muitas surpresas, agradáveis ou com dissabores. Bem o sei…
A reviravolta que a vida me deu, não estava a preve-la. Alguém se colocou no meu caminho, fez-me sentir, fez o meu corpo e mente abalar.
Aos poucos, o muro que tinha construido, foi derrubado e preenchido com carinho, com amor. Sim soube o que era amar.
Ao fim de muitos anos, senti as lágrimas correrem pelo meu rosto.
Lágrimas negras de dor e felicidade.
Dum passado sofrido e dum presente radioso, que nunca pensei poder merece-lo.
©Lola 2017 #69Letras

Sou a tua (In) Consciência

Sou a tua (In) Consciência
Sou a tua sede e a fonte onde te sacias,
Sou a tua fome e a tua fartura,
Sou a tua alma e a falta dela,
Sou o teu amor e o teu ódio,
Sou a tua Luxúria e Frigidez,
Sou o teu desejo e o repúdio,
Sou o teu prazer e o teu sofrimento,
Sou o teu mel e o teu vinagre,
sou tudo o que queres é não precisas,
Sou tudo o que precisas mas não queres,
Sou o teu equilíbrio e falta dele,
O teu sorriso resplandecente e o teu choro descontrolado,
Sou o teu saber e ignorância, a tua bondade e a tua maldade,
Sou o teu carinho e agrura, Sou o teu bem e o teu mal,
Sou a tua tempestade e bonança, agitação e calmaria,
Sou tudo o que lembras quando queres esquecer, e tudo o que esqueces quando devias lembrar,
De mim só tens verdade, porque em mim só tens um espelho,
às vezes limpo e pueril ou dependendo da distância com que me olhas
e a proximidade da tua respiração condensa a névoa que te tolda a realidade,
afinal é nas estrelas que se vislumbra a pureza da mente,
mas é aqui entre os comuns mortais que a consciência se torna pura,
ou não, o segredo, está no caminho…
© Bastardo 2017 #69Letras

Laços da Alma

Almas condenadas a reviverem vezes sem conta o seu amor
Amor vivido de diferentes formas, diferentes épocas.
Por muito que queiram fugir deste destino,
Desta tortura, acabam sempre por se encontrar.
A sensação de que já se conhecem, mas não sabem de onde.
Pequenos gestos, determinados eventos,
fazem aquelas almas acordar em mais um corpo que não é o deles.
Revivem tudo de novo, não se resignam a estar separados.
Cada época que renascem, tentam fazer tudo diferente,
mas o destino é traiçoeiro.
Separa-os de novo.
São laços da alma condenados ao infinito do seu amor.
©Lola 2017 #69Letras