Todos os artigos de Krishna

Sem olhar a quem!

Sei que poucos de vós me conhecem a cara, ou mesmo o espirito, mas posso-vos dizer que sou eterna criança.
Sinto-me todos os dias como se fosse uma gaiata que descobre tudo pela primeira vez.
Sou leve, levinha a quem me olha e pesada quem me quer mal.
Vibro com cores, formas e feitios.
Estudo todos os recantos da vida, pois sem ela seriamos inúteis.
Abraço assim tudo o que me conforta o coração e de certa forma rejuvenesce a alma, desde do nascer do sol à sua ida, apanho todas as manhas e segredos que o dia me oferece.
Bom dia, boa tarde e um como vai? São tão importantes que muitos não se apercebem do preenchimento de alegria que nós dá, da satisfação que é sentir a simpatia da alma humana.
Sou tão isto e tanto mais…
Espero que todos vós assim sejam, e se não forem…
Troquem a pressa pela calma de uma chávena de café à janela da vossa humilde casa, não deixem que a maldade da sociedade vos devore e sejam amáveis, troquei o telemóvel por uma sangria na praia com amigos de pés na areia e agarrem as noites quentes no campo com um piquenique!
Partilhem um “olá” com aquele senhor de olhar cansado que vai no barco convosco, de certo que com isto o dia dele irá ser melhor.
Porque alguém se interessou, reparou na existência de quem ali está.
Custa tão pouco ser humano, e felizmente consegui acordar para a vida simples e singela que me rodeia antes que a vida industrializada me levasse para longe.
Pratiquem a bondade,
Rezem à alma, seja qual for a alma.
Digam “olá”,
Não se esqueçam do “dorme bem”,
Sem olhar a quem!

©Krishna 2017 #69Letras

Sem destino saio.

Hoje resolvi sair, festejar não sei bem o que.
Não preciso de motivo.
Festejo porque quero, como tudo o que faço. É porque quero.
Quero estragar a minha alma com sexo sem sentido, o meu corpo com álcool caro e a minha pessoa sem vergonha nenhuma nesta cara.
Sem destino saio.
E sabe deus que é escassa a minha roupa.
Gosto desse teu ar.
Como seguras o copo e mordes o lábio enquanto me penetras com o olhar.
Já perdi a conta aos copos… às garrafas que por mim já passaram.
Anda comigo que se faz tarde.
Transpiras confiança em me ter … isso excita-me para além do racional.
E se dar por isso já estou estragada.
Debruçada de rabo empinado para te servir mais uma bebida nesta longa madrugada neste quarto de hotel.
Manda vir mais uma garrana que está calor, e sem medos bebe-a em cima de mim.
Meu estranho faz-me feliz,
Leva-me ao limite.

Porque eu hoje saí para festejar e assim vamos continuar.

©Krishna 2017 #69letras

Por favor faz-me valer um bom café…

Sei que com todo o direito pensas que podes invadir e espreitar o meu interior.
Aqui é verão todo o ano,
Sem restrições e sempre de cabelo solto..
Música pela tarde e libertamos a nossa mente!
Muitos dizem que sou estranha, 
Mas digo-te que vale a pena conhecer.
Não gosto de me deitar cedo.
Gosto de manhãs apressadas e cafés saborosos.
Arrasto os saltos pela noite, tal e qual como canto sem medos.
Anda que só estamos aqui os dois e tudo de bom que entre nós existe.
Vem, que não me quero deitar já e vender a minha alma barata.
Por favor faz-me valer um bom café…

©Krishna 2017 #69Letras

Meu porto de abrigo

Existe algo no teu peito que me conforta.
Algo que acolhe o meu mundo, este mundo complicado que por vezes não cabe no mundo real.
Não encaixa nos estereótipos impostos pela sociedade. 
Simplesmente não cabe. 
Este meu mundo é grande mas incompleto sem o teu. 
Torna-se gélido, quase inútil aqui permanecer, sem ti.
O teu núcleo é quente e sólido derretendo o meu gelo, o meu coração.
Não.
Não sou histórias de amor e paixões perdidas.
Sou de amores.
De preferência puros, sinceros.
Como tu.
Como esse teu peito, de tamanho do mundo, de coração miúdo, de amor profundo. 
No teu abraço descanso sem receios, 
Na tua alma eu encosto a minha.
Meu porto de abrigo. 
Meu amigo.
Meu abraço predileto.
©Krishna 2017#69Letras

 

Deixa-me proteger-te.

Porque te vejo tão frágil?
Mulher menina que és de frente para mim, de olhos castanhos profundos e mãos pequenas,
Curvas sensuais e pele sensível.

Porque és tão forte ? 
Deixa-me proteger-te.
Deixa-te ser princesa uma vez na vida. 
Fazer-me teu rei é apenas o meu sonho.
Tornar-me algo na tua vida.
Nessa tua vida que com esse teu ar de menina, tão bem dominas.

Vejo em ti uma vida.
Um sentimento de eterno inunda o bruto que sou.
Que dom é esse mulher que tu tens em mim?
Que feitiço me lançaste para tão apaixonado eu ficar por esse teu cabelo de curvas perdidas nos teus ombros?

Por favor! 
Deixa-me ser,
O teu interior perceber.
Prometo-te que não tens nada a perder.

 

#ImaginaçãoDeUmaRaparigaDespenteada

©Krishna  2017 #69Letras

Admiro-a, sem uma palavra lhe apontar.

Vocês sabem, quando ela tem um cheiro…
Aquele característico, que todos nós sabemos diferenciar.
Cheira-nos a vicio.
Delicioso vicio, que me conquista sem falar.

Admiro-a, sem uma palavra lhe apontar.
Ela sabe o que faz mesmo calada.

Continua ela com aquele cheiro…
Conduz a minha mente à tentação dos seus lábios.

Como ela faz isto? Pergunto eu…
Sentada de copo na mão, curvas assanhadas e de requinte interiorizado.
Como pode ela ser tão proponente e eficaz com qualquer ser que respire?
Queria desviar o olhar mas sou atraído por ti.
Mas estás a olhar para mim…

Sê gentil comigo,
Encontra o meu coração e pratica a amabilidade, pois eu preciso.
Necessito para além desse teu jeito apetecível,
Anseio que sejas algo mais que umas boas pernas.

Que te caia a máscara por favor!
Deixa-me ver as tuas cores,
Ser o teu pintor.
Vamos passar essas tuas fotografias de uma noite para obras de arte de uma vida.

#ImaginaçãoDeUmaRaparigaDespenteada

©Krishna  2017 #69Letras

Tinta… faz magia!

Escrita.
Assim sou eu.
De vezes demasiadas,
Outras desaparecidas.
Transpiro tinta.
Ela percorre o meu corpo,
Dança na minha pele.
Tinta… faz magia!
Seja ela onde for.
Escrevo,
No meu corpo, sem medos.
No papel transcrevo a minha alma até à exaustão.
Nua como sou.
De história escrita ou vivida.
Sou mais que tinta preta.
Palete de cores.
E tu?
Atreves-te a escrever-me?
©Krishna 2017  #69Letras