Swing de vinho…

Texto Erótico | M18?

Fomos jantar… Depois de uma série de desencontros, finalmente a nossa agenda encaixou.
Jantar de amigos em casa numa sexta à noite, perfeito! Ali interessava mais o cheiro que vinha da cozinha, o líquido que escorria dos copos e os sorrisos do que vestidos e glamour.

Já não me lembro de ver um casal tão feliz quanto a Vizinha e o Anónimo. Eles encaixam… A felicidade deles faz-me sorrir… Aqueci o meu coração observando-os e bebericando o tinto frutado mas encorpado que o Anónimo me serviu. Ainda perguntei se precisavam de ajuda com alguma coisa mas foi-me apresentado o sofá… Juntei-me ao 100Modos que também já lá estava recostado e assim que ficámos​ sós, ele também partilhou comigo a alegria de ver aqueles dois juntos… Adoro partilhar esta cumplicidade com o 100Modos, selamos a felicidade com um brinde e sorrimos.

O jantar correu de feição, a comida estava deliciosa e provou que até na cozinha aqueles dois resultam… Fomos bem regados e a conversa fluiu sempre animada, bem disposta, com algum humor negro à mistura.

Fim do jantar. A Vizinha vai preparar os digestivos e num dos nossos rasgos, eu e o 100Modos lançamo-nos à cozinha e lavamos a loiça sob protestos do Anónimo. “Ainda vão pelo condomínio dizer que vos exploramos!!! Parem lá com isso!” Um sorriso dos nossos, ouvidos de mercador e lá terminamos a tarefa.

O olhar dos nossos anfitriões estava diferente por esta altura. Ambos nos observavam na porta da cozinha com as bebidas na mão e a energia mudou.

Já na sala, os quatro no sofá fofo, meninas ao centro e rapazes nas pontas, a conversa continuou… Deliciosa, a Vizinha estava quentinha e adorável. Gosto tanto da minha amora… Doce e forte!

Como almas fogosas que somos, às tantas já estávamos enroscadas​ uma na outra, quais gatas a ronronar… O Anónimo ia acariciando as costas e coxas da Vizinha, o 100Modos observou durante algum tempo como bom voyeur mas as mãos dele também se aventuraram pelo meu corpo… Afinal, já conhecia aquele toque de algum lado e não me incomodou, de todo…

Pensava eu que a brincadeira ia ficar por ali e cada um tomaria o seu rumo e mataria a fome que ali estava a crescer da forma que estivesse mais à mão quando a Vizinha me beijou. Os lábios pequenos e quentes tocaram os meus e deixaram-me tonta, excitada. Ela de seguida acariciou o 100Modos, percorrendo o seu pescoço, descendo pelos ombro e braço, enquanto se encaixava no meu colo e me beijava outra vez, mais quente, mais gulosa…
Repliquei o toque dela no Anónimo que se arrepiou.

Quando dei por mim estava sentada no colo do Anónimo, costas nuas encostadas ao seu peito pernas abertas e seguras pelas dele. A Vizinha gulosa provava a minha pele e dirigia-se vertiginosamente para o meu sexo, enquanto o 100Modos me beijava a boca e o Anónimo ia roçando a sua crescente tesão no meu rabo que inconscientemente e em cadência crescente se meneava… As barbas na minha pele contrastando com a seda do toque da Vizinha levaram-me para um plano áureo, além… Sei que nos misturamos e durante aquele serão as peles e os cabelos foram um misto de gemidos e grunhidos e prazer…

Todos os sabores misturados na minha boca, os cheiros misturados na minha pele… Aquele cansaço delicioso, o sexo ainda a pulsar dos múltiplos orgasmos…

E fui depositada na minha cama com um beijo terno do 100Modos… Acordei, nua, com o gato a roçar-me a derme ainda sensível… Será que aconteceu mesmo?!

Sorrio, pego no telefone, faço uma chamada…

© VickyM 2017 #69letras

Deixar uma resposta