Sessenta e nove…

| Conto Erótico | Maiores 18 |

 

Sessenta e nove prazeres, seria um longo dia, um dia bem saciado, mais bem satisfeito, e talvez picante o suficiente para ficar a arder durante muito mais tempo.

Não me recordo das razões, nem quando, nem porque, mas a primeira vez que ousei o sessenta e nove, foi intensamente estranho, o dia começou como mimos ao despertar, e as brincadeiras que se tem numa cama, creio que foi a um feriado, ou talvez a um fim de semana, tento lembrar-me mas não consigo precisar, as brincadeira que as crianças adultas têm numa cama, e sabe-se lá porque razões ficaste em brasa comigo e decidiste vingar-te, e alçaste do rabo na minha direcção, sentaste quase em cima da minha cara, aquele teu cheiro ao despertar, sinceramente, confesso e como tu pudeste comprovar, deu-me tesão, muita tesão.

Não sou homem de fazer rogado a estas iniciativas, e quando assim o é, resta-me trabalhar no duro, e eu percebi que aquele ataque puro e duro que fiz ao teu sexo encharcado te deixou quase nocaute, aqueles gemidos teus intensos enquanto enterrava a minha língua toda dentro do teu corpo foram bem perceptíveis, deixei a língua mergulhar no teu sabor, húmido e quente, meio acre, deslizei por todos os recantos do teu sexo, sabia bem onde te dar mais e mais prazer, mordisquei o interior das coxas, levemente, pacientemente, nada de pressas, a manhã acabara de começar.

Percebi pela tua excitação, que iria sentir mais do que estava a sentir, quando tu passaste a língua pelo meu sexo palpitante, primeiro um pequeno beijo, depois a tua mão que se enrolou para o segurar, mas nem era preciso, ele não iria fugir, antes pelo contrário, apenas ainda ganhou mais tensão quando lhe deste o pequeno beijo, depois do beijo, senti a tua língua quente, quase me descentraste do que estava a fazer, e acabaste mesmo por desconcentrar quando senti os teus lábios deslizarem por mim abaixo, aquele calor, aquelas sensações que me provocaste, fizeram-me por breves momentos perder a noção de onde estava.

Talvez por tusa, ou por tesão, talvez por acordar cedo, não sei, sei que tivemos na brincadeira algum tempo, não sei quem aguentou mais tempo, mas o prazer que nos invadiu foi letárgico, deixou-nos os dois prostrados um em cima do outro, durante uns valentes minutos.

Findos os tais minutos, voltamos para a guerra de almofadas, visto que certamente iria recomeçar algo mais tarde novamente.

 
NMauFeitio 69Letras® 27.02.2017

Deixar uma resposta