Quero agora e já!

Um dia igual a outros. Onde sou tudo menos visível no meio destes fatos todos.

Se eles soubessem do que sou capaz. Baixava-lhes a guarda num instante.

-Menina Lilith estou à espera dos relatórios.

-Sim senhor.

Entrego-lhe os relatórios em mãos sem que sequer me dirija um olhar ou uma palavra. Mas esta indiferença vai acabar. Hoje.

-Peço a sua atenção para o dia de hoje, senhor.

Ah, agora já olha para mim.

-Que foi? Tinha alguma reunião marcada com a direção e esqueci-me?

-Não senhor. Faço um ano de casa e o senhor ficou de me levar a jantar fora.

Dito isto, solto o cabelo e tiro os óculos de secretária intelectual. Ele fica estático com a minha ousadia mas também, inesperadamente, atrai-lhe a ideia.

-Não creio que seja de bom tom…

-Ótimo! Chamo o motorista da empresa, então.

-Não! Espere. Vamos no meu carro.

O despir do casaco, deixando a descoberto minha blusa vermelha justa ao peito, é sempre persuasivo.

Rendido fecha o laptop e levanta-se. E antes que me dê mais outra ordem qualquer, antecipo-me e saio do escritório com uma ar decidido e imponente. Sim. Desta vez é o meu ar que causa girar cabeças.

Entramos no elevador e decido puxar a saia preta justa para cima o suficiente para puxar as meias enquanto lhe olho nos olhos.

Seu ar passou de espanto a esfomeado.

-Menina Lilith, hoje está diferente. Muito diferente!

-Surpreende-lhe assim tanto ver a mulher escondida por detrás da sua secretaria ?

-Lamento ter-me apercebido tão tarde menina Lilith.

E aproxima-se de mim o suficiente para me deixar bem claro que me deseja de igual modo. Sem desviar o olhar de mim como quem se afirma mas contudo sem me tocar como quem espera por autorização. Gosto disso.

-Nunca é tarde demais senhor.

E muito ousadamente encosto meu corpo ao seu. Como quem desafia ao passo seguinte.

O elevador abre. Saio novamente à sua frente e dirijo-me ao seu carro. Sinto o seu ar apressado a seguir-me. Após ele abrir as portas, estico o braço para abrir a porta mas o seu desejo descontrolado antecipa-se.

Num ápice vira-me para si, encosta-me ao carro e beija-me muito inesperadamente.

Somente num beijo transmite-me todo seu desejo por mim. As suas mãos dizem-me que me quer possuir o mais depressa possível. E ao encostar seu sexo ao meu corpo, já sei que provavelmente não iremos jantar.

-Entra!

E abre-me a porta do carro quase forçando a minha entrada. Diretos para os lugares de trás do carro mas sem nos desgrudarmos um do outro. A excitação fala mais alto e ele tem imensa fome do meu corpo que só há momentos descobriu. Mal ele sabe que nos meus planos é ele o prato principal.

Por momentos ele pára de me beijar e tenta se afastar da loucura que o envolve mas depressa o puxo para mim fazendo-o mudar de ideias. Rasgo-lhe a camisa e tiro-lhe a gravata.

Louco e sem regras apressa-se em tirar minhas roupas também.

Agarra-se ao meu peito com unhas e dentes deixando-me quase sem respiração. Ajudo-o a libertar-se das calças e dos boxers e com toda a força do meu corpo obrigo-o a sentar-se.

-Está assim tão contente por me conhecer melhor, chefe?

-Lilith, nem imagina!

Agarra-me pelas nádegas e senta-me no seu colo penetrando de uma só vez no seu membro ereto e esfomeado de mim.

Sei que ao fechar os olhos, deliciou-se com cada centímetro ao penetrar-me. Naquele momento nenhum de nós se importou com as aparências, até porque estávamos num parque de estacionamento. Nada mais importava. Só eu, ele e a entrega de nossos corpos para saciar este novo despertar.

Num vai e vem destas duas almas pecadoras, geme-se num degustar do manjar de deuses. Seus beijos não acalmam a minha respiração e o meu morder de lábios anunciam o orgasmo eminente. Ele agarra-se à minha cintura com mais força, me puxando para cima e para baixo como se escorregasse melhor ainda. Encaixamos na perfeição.

Sua respiração mais ofegante. O vai e vem mais acelerado como se ambos corrêssemos para o orgasmo. E numa explosão dos sentidos com o misto dos nossos gemidos, chegamos ao objetivo.  

Ele puxa-me para mais um beijo mas recuso.

-Chefe, o que lhe queria dizer mesmo, é que gostaria de apresentar minha demissão com efeito imediato.

-Quê? Não, por favor, Lilith!

-Adeus.

 

©Lilith 69Letras 2017

Deixar uma resposta