Dia de chuva, no meu coração

Hoje acordei sem sentido, sem vontades nem ilusões, desprovido de sonhos, despido, perdido nesta cama longa e esquecida.
Ao meu lado, apenas o nosso leito de amor agora quieto, onde um dia te deitavas e me acordavas com esse olhar de menina.
O teu cheiro já cá não está, a tua pele macia há muito que me deixou sem reservas e se apagou das minhas lembranças.
Sabes, hoje chove lá fora.
Sei que gostavas dos dias em que a chuva nos fustiga as vidraças e nos convidava a um abraço apertado com sabor a café quente acabado de fazer.
Sabes que eu gosto, porque a chuva que cai em abundância lá fora aquece-nos a nossa alma cá dentro, mima-nos o ventre, massaja-nos o sentir, quando na cama juntos partilhamos o amor.
Gostava de a partilhar contigo, de chapinar nos teus abraços, de correr ensopado pelo teu corpo em busca de um abrigo secreto para me aconchegar.
Onde estás?
Porque estou eu a assistir a esta chuva sozinho?
Porque não está o teu corpo colado no meu neste dia de manhã cinzenta?
Tenho saudades dos teus sinais, e dos teus ais….
E do teu olhar profundo, tão profundo que chego a ver o cintilar do teu coração.
Onde estas….?
Sem ti, sinto-me perdido nesta vida que inventaram para mim neste dia de chuva no meu coração….
#PSassetti #69Letras 15.05.2017

Deixar uma resposta