Devaneios de um complicado

Há uns dias senti-me o Tom Cruise no Top Gun, estive num ambiente rico em alvos e só me apetecia atacar, atacar, atacar, o problema é que o gatilho encravou, ainda estava sóbrio o suficiente para não fazer asneiras, é estranho como o álcool pode alterar o estado de espírito de uma pessoa, um ser introvertido que fica extrovertido após uns copos que lhe toldam o juízo e a mente, e note-se, não falo quem beba garrafas diariamente, falo da pessoa que bebe socialmente para poder ser um pouco mais do que ela realmente é.

Somos o que somos e valemos o que valemos, metidos no nosso próximo mundo impedindo que entre quem quer que seja, embora por vezes temos os momentos de fraqueza, onde a sangria faz pequenos estragos, e solta o animal que existe, aquele animal sensual e apelativo, que assim não é na maioria dos seus dias, prefere estar escondido numa penumbra escura onde ninguém o vê, e quanto não são assim, preferem viver na margem de um mundo, e de vez em quando soltam os animais, levam eles a passear, levam os gatilhos a disparar para todo o lado e para tudo o que mexe, e mesmo sabendo que normalmente assim não o são, mas que precisam de perder o controlo mesmo que seja momentâneo.

Isto é um pouco como um ser anti-social dar o seu primeiro beijo, está ali algo estranho, uma experiência nova, e pesa os prós e os contras que querer voltar a experimentar voltar a viver a euforia, o beijo é como uma droga, que vicia, e tudo o que vem por trás, até há queda sem para-quedas, quando o tapete voador por fim, termina o seu voo.

Palavras de um louco pensam vocês, certamente que sim, se todos fossemos iguais, isto seria no mínimo estranho, somos iguais nas formas físicas, mas não nas formas de pensar, nas formas de viver, nas formas de apaixonar e por ultimo e não menos importante a forma como caímos, todos temos formas diferentes de cair, se uns tombam por derrotas que faz ir aos confins dos infernos em buscar de uma resposta, outros nem pensam nisso, tentam sacudir agua do capote e seguir em frente, existe sempre uma alma mais simples que aceita ajudar a levantar, seja por amizade, seja por um amor oculto, eu já fui isso, não me senti bem por tal, ela pensava em outro que não em mim, nunca me viu como o tal, até ao dia que percebeu que eu não estava ali apenas para a fazer esquecer alguém, eu estava ali para a amar como ela sempre mereceu ser amada, e mesmo quando o tapete me fugiu debaixo dos pés, e não foi uma aventura de um mês, foi um amor de mais de dois anos, que teve um fim, e eu não soube como desvendar as respostas que precisava, precisei de uns longos sete anos para entender onde eu tinha errado, e o estúpido, eu não errei, mas quando se teima que se erra, o isolamento, tolda a razão, o juízo, a realidade.

Quem por demais pensa, por de menos vive, apenas posso dizer que façam o que vos digo, não façam o que eu faço, se pudesse voltava tudo atrás para poder emendar os tantos erros que fiz…. E continuo a fazer…. Burro velho não aprende línguas, e vive apenas dos seus próprios arrependimentos….

 

NMauFeitio 69Letras® 27.02.2017

Deixar uma resposta