Amores Impossíveis

Olá meu Amor! Acreditas que não me sais da cabeça? Não houve minuto neste dia que não pensasse no teu sorriso e meus lábios não tivessem sorrido, nos teu olhar e meus olhos não tivessem brilhado, no teu cabelo e meu dedo não o sentisse a arrumá-lo por detrás da tua orelha, na tua face e um rubor de felicidade não me tivesse invadido, no teu corpo e meus braços desejarem apenas abraça-lo. Foi o dia todo nisto e ainda agora a escrever-te minha mente apenas imagina o teu toque suave e carinhoso, o teu cheiro de rosas frescas e o sabor do teu beijo doce e quente.

Sabes, fico a contar os dias para te ver, te olhar no olhos e dizer-te que te Amo com toda a franqueza.

Consegues imaginar o nosso reencontro? Eu consigo, e sorrio sempre que o faço. Não interessa se é junto à praia, ou mesmo naquela esplanada na Ribeira do Porto que ambos adoramos, só sei que anseio pelo nosso reencontro.

Não, dizias-me tu. Não o podemos mais fazer. Não queres contrariar a tua consciência e muito menos trair os teus princípios… Não posso deixar de pensar que estarás a deixar alguém que amas fora de algo só nosso e isso também me retrai muitas vezes, levando-me a pensar se são corretos os nossos olhares, desejos e vontades de estar juntos.

Porquê, dizes tu! Porque é que nos tivemos que apaixonar? Ambos sabemos que é incorreto mas desejamos tanto, ao ponto de arriscarmos a nossa sanidade mental, de sermos traídos apenas por paixão, desejo e tesão. Valemos a pena, digo-te eu. Temos uma sintonia e uma cumplicidade dificilmente alcançável pelos comuns humanos, nós que somos apenas carne e osso e desejamos apenas a nossa Felicidade.

Amor Impossível, descreveste-nos tu, quando impossível será não te amar, ter-te tão perto e não te tocar… Acreditas que não me sais da cabeça?

© O Vizinho 2017 #69letras

Deixar uma resposta