A prenda

Texto Erotico M|18A??
A caminho da casa da minha senhora, paro…
Levanto o rosto para o céu, sorrio.
Será hoje, que serei dela, serei o seu cachorro, o seu escravo.
Há tanto que ansiava por este momento…
Antes passo por uma sapataria e compro-lhe aquelas botas pretas, altas, até ao joelho…
Depois aquele vestido preto justo. Quero que se sinta a rainha, a minha rainha.
Chego ao prédio, subo… As minhas pernas tremem, o meu coração atinge um ritmo alucinante…
É a presença da minha senhora, aquela que me resgatou a alma e aguarda agora pelo meu corpo. O corpo que a irá servir…
Em frente à sua porta de casa, consigo ouvir os seus passos, sentir o ar do seu respirar…
O seu cheiro sai por baixo da porta. Adoro inalar o perfume que se misturou com a sua pele.
Estou excitado, sinto-me a ferver e louco de vontade de ser o seu cachorro.
Pouso o saco, tiro a coleira, coloco-a em mim…
Seguro na ponta da coleira. Toco à campainha.
A porta abre-se, o meu coração bate rápido, o
meu desejo aumenta…
Elogio a minha senhora. Olhando para o chão…
Ela sorri…
Ofereço-lhe a ponta da coleira que tenho. Agora sim, unidos por uma lealdade e servidão sem fim.
Ajoelho-me, vergo-me… ofereço-lhe as prendas que lhe comprei.
Aqui, minha senhora…
Serei seu, quanto o desejares. Servindo-a como quiser. Amando-a como desejar.
Aguardo as suas ordens…
Dobra-se, toca-me no queixo, fazendo-me levantar o rosto e olhar nos seus olhos. Ela sorri…
“ Vem meu cachorro…  “
E fui…puxado pelo elo que nos unia…
– Senta-te ai, como um bom menino. Já venho!
Deixei-o sentado no chão, enquanto ia ao quarto vestir o que o meu cachorro trouxe. A porta ficou entreaberta de proposito, comecei o ritual. Despi-me devagar, para faze-lo sofrer de ansiedade, fiquei em lingerie enquanto retirava o vestido e admirava o bom gosto daquele safado.
Pelo espelho, reparei que espreitava por entre a porta.
– Quem disse que podias espreitar? Baixa o focinho!
Virei-me e reparei no volume por cima do fato. Olhei-o com ar de reprovação. Baixou o olhar de cachorrinho arrependido. Sem se aperceber, sorri.
Resolvi fazer um teste para ver se me desobedecia.
Coloquei-me me forma a que me visse pelo espelho, e comecei a vestir-me mas de forma como se tivesse a acariciar-me. Detive-me no meio das minhas pernas. Olhei de relance, e lá estava ele a olhar e, com uma das mãos agarrar a verga, numa forma frustrada de o diminuir.
Terminei de me vestir. Coloquei as botas de cano alto, mais uma olhada no espelho. Perfeita!! Só falta mesmo a minha companheira inseparável a martinette.
Desta vez olhei diretamente para o espelho, e ele continuava a espreitar.
– O que te disse? Nada de espreitar! Hoje estas desobediente. Se continuas assim, castigo-te.
Fui buscar a trela, coloquei-a na coleira que trazia.
– Vem vamos passear! Quero desfilar o meu animalzinho de estimação e a prenda nova que me deu. Conforme te comportares poderás ter algo especial, quando regressarmos.
Vi-o colocar-se numa pose altiva de orgulho, satisfação. Como se dissesse que iria se portar bem e que merecia a recompensa.
Lindo menino! – Os nossos olhares se cruzaram como soubéssemos o que queríamos.
Meio envergonhado, baixou o focinho..
© Lola  & Submisso anónimo 2017 #69Letras

Deixar uma resposta