Um dia deixaremos de brincar ao “faz de conta” e cairemos nos braços um do outro

Um dia… É no negrume lúgubre nocturno que as mentes vagueiam. Por todos os locais onde devem e não devem… Locais que por vezes preferimos não vaguear mas que por razões desconhecidas teimam em fazê-lo… Olho ao meu redor… As paredes frias que me abraçam, fazem-me sentir perdido… Nem um som se ouve durante a madrugada… Nem o corrupio e azáfama constantes de vidas que passam na rua, neste momento deserta…escura… Tenho a mente absorta em ti! Abstraio-me de tudo isso! O teu eu ocupa “demasiado” o meu eu. És tanto de mim…somos tanto um do outro…e em tão pouco tempo… Fecho os olhos e sorrio… Imagino o teu sorriso embaraçado…a tua voz rouca…o teu olhar de menina envergonhada… És única e sabes que o és! Mas sabes realmente o que me enche o coração? Os momentos intensos que passamos! Momentos únicos e tão nossos, momentos parecem vividos por alguém que se conhece há uma vida! De uma intensidade fugaz! É no teu beijo e no teu abraço que encontro conforto! Que encontro refúgio e o meu porto de abrigo! Amor intenso este que nos consome num fogo de desejo e luxúria! Amor intenso este que me revira as entranhas e me faz viver de novo! Amor intenso este que ambos sabemos ser um pecado para a sociedade crítica e que nos liberta da nossa prisão mundana!

Um dia seremos livres! Um dia partiremos as amarras das nossas vidas reais! Um dia deixaremos de brincar ao “faz de conta” e cairemos nos braços um do outro! Um dia deixaremos de ser Capuleto e Montecchios para sermos apenas um só! Um dia escreveremos a nossa história…talvez neste mesmo local onde me encontro agora, neste mesmo sofá, meu e tão nosso!

Mas nesse dia, as paredes que me abraçam deixarão de ser frias, a rua deixará de ser deserta e escura e a madrugada…ah! a madrugada deixará de ser palco de onde as mentes vagueiam… Para ser inundada de verdadeiros amantes absorvidos em loucura, paixão e luxúria!

 

Um dia…

7thSin✟

Deixar uma resposta