Suspiro…

Pode significar uma infinidade de coisas…

Os meus ultimamente sabem à falta que me faz…

O enfado que é estar longe, obrigatoriamente longe…

As memórias boas que assaltam o pensamento e fazem disparar o coração…

Sabe a vontades, a satisfações regulares, a um pedaço de Inverno ou a uma fagulha do fogo, a um ligeiro terror noctuno…

Sabem à cerveja gelada numa tarde de sol numa esplanada de Lisboa com vista para o rio e também à Primavera que se mostra tímida e não deixa vestir aquele top de mangas cavas…

Sabe ao primeiro trago de café pela manhã que me impede de cometer um crime de ódio..

Sabe aos sorrisos que me levam pelo dia a dia, os esgares para o lado, os revirares de olhos, o consolo de saber que está quase…

Sabe à alegria de ver a luz, de sentir o abraço, de receber o beijo e querer chorar de tanta felicidade…

Sabe à constatação do facto de que sim, ainda tenho em mim a capacidade de sentir, de querer chorar e a lágrima correr…

Inspiro, expiro e mais uma vez suspiro… É a voz, é o toque, é a recordação, é o presente, o passado, o futuro…

A esperança, os casos perdidos…As reticências…

A certeza… Essa certeza mesmo… E todas as dúvidas…

Só mais um suspiro, é a hora de dizer adeus… ou um até já…

© Vicky M 2017 #69letras

Deixar uma resposta