Sonhos molhados

TEXTO ERÓTICO M|18 󾬥 󾬥 󾬥󾬥 󾬥 󾬥
Quantas de vocês já tiveram sonhos molhados?
Não me refiro à função urinária nocturna, mas sim sexual.
Nestes anos todos tive seis e cada um diferente do outro, mas as sensações foram reais. Como se estivesse acontecer naquele preciso momento.
Sim recordo-me de cada um deles, mas vou-vos contar o último sonho que tive e ainda está fresco na minha memória.
Tinha acabado de adormecer, cansada de 14 horas de trabalho. fechei os olhos e não me lembro com que pensamento adormeci.
Não sei se foi o meu espírito, minha alma que se apoderou de mim.
A única coisa que sei é dei por mim num quarto à media luz, envolvida com uma mulher e olhei ao redor e numa parte do quarto mais escura, estava um vulto masculino. Não consegui distinguir quem seria.
O meu coração acelerou e a minha respiração tornou-se cada vez mais ofegante, não me tinha apercebido de que estava completamente nua.
A mulher com quem, eu supostamente estava, deliciava-se no meu baixo ventre, arrancando-me gemidos e fazendo o meu corpo estremecer de tanto prazer.
Já tive com algumas mulheres, mas aquela tinha algo de especial, diferente. Era como se soubesse em que pontos me faria delirar e levar à loucura.
Deixei-me levar. Mas o meu desejo, a minha fome começou apoderar-se e eu também queria sentir o sabor dela.
Puxei-a para cima de mim, senti os seus seios rígidos sobre os meus, pousei os meus lábios nos dela para sentir o meu sabor. Beijei-a com paixão.
Rebolei sobre ela. Comecei acaricia-la, a minha boca foi descendo pelos seios, barriga e detive-me na naquele monte divinal, obra de arte. A minha boca parecia um imã direccionado a ela, delicie-me com aquele néctar.
Senti todo o seu sabor na minha boca, quente, doce. A minha euforia aumentou, assim como a minha respiração.
Desejei-a cada vez mais, queria sentir-me nela. Os meus dedos deslizaram pela aquela entrada húmida, contorcia-se de tesão.
Suguei todos os seus fluidos, até á última gota.
Mantinha-me de quatro, quando senti umas mãos acariciar-me o rabo, segurar forte as minhas nádegas. Senti uma boca quente e um língua húmida e atrevida a passear por entre os meus dois orifícios.
A minha respiração voltou a acelerar assim como aquela língua dentro de mim. Senti-me cada vez mais excitada e molhada.
Depois de me sentir bem lubrificada, soltei um gemido enorme à medida que ia sentido aquele membro, grande, grosso enterrar-se em mim, obrigando a que o meu rosto fosse aninhar no meio das pernas dela.
Não conseguia resistir mais, o cheiro que ela emanava e senti-lo todo dentro de mim.
O meu corpo explodiu de tesão. Acordei com espasmos e todo o meu néctar a escorrer pelas minhas pernas abaixo.
Olhei para o lado e o meu companheiro dormia profundamente, passei as mãos por entre as pernas e senti o líquido.
Foi um sonho, mas um sonho real…
Queria repetição, virei-me para o meu companheiro, desci por entre os lençois e acordei-o da forma como ele gosta.
© Lola 2017 #69Letras

Deixar uma resposta