Para ti minha endiabrada…

Sempre que te leio deixo-me estar ali, a sentir-te… Conheço-te bem, as tuas dores, os teus silêncios, as tuas lágrimas fáceis e sinceras… Somos iguais na forma de sentir e totalmente diferentes na forma de expressar… Já te ouvi inúmeras vezes e ainda assim quando te leio é a tua voz de dentro que ouço… A menina, a que quero pôr no colo quando dos teus olhos chove e eu não sei o que fazer…

Quero tanto dizer-te que vai ficar tudo bem e nem para mim tenho essa certeza, quero tanto agarrar-te pelo braço e todos os dias te presentear com bocadinhos de felicidade… Nem que seja só para te lembrar que pode faltar-te tudo, menos a minha amizade, carinho e respeito…

É por isso que te escrevo, para te lembrar…

Que mesmo por baixo desse feitio especial, de todas as vezes que rosnas, das revoltas às vezes sem sentido ou manifestamente inúteis – há coisas que nunca irão mudar mesmo que a nossa voz se erga ao céu, meu bichinho – de todas vezes que não soube o que te dizer ou como te consolar, mesmo assim e se calhar é por ser assim mesmo, reconheço-te uma força imensa, sei-te forte e capaz de empurrar mais este obstáculo mesmo de coração partido e adoro-te e agradeço o facto de estares na minha vida… Sabes que cada vez que te abraço não é com intenção de te derreter, é sim na tentativa de juntar os pedacinhos que sei espalhados dentro de ti…

Obrigada, sim?

Eu sei, sou uma idiota, estúpida e todos os insultos que estás a proferir entre as lágrimas que estás a tentar conter…
Sim, vou-te abraçar com força…
Sim, eu estou aqui…
Minha amiga, meu bicho de voz rouca e força de gigante, meu sunquick, minha rainha do sarcasmo… Porra… Agora sou eu tenho cenas nos olhos… Vá, já chega… Idiota… Adoro-te!

© Vicky M 2017 #69letras

Deixar uma resposta