O tempo…. o meu tempo…..

“O tempo pergunta ao tempo, quanto tempo o tempo tem, o tempo responde ao tempo, que o tempo tem tanto tempo, quanto tempo o tempo tem.”
Há sempre um ciclo vicioso que me persegue, algo perpetuo, como que se o tempo tivesse apenas um tempo para existir.
Há sempre algo efémero em mim, algo despido de sentido, desprovido de vida, que teima em durar um pouco mais do que o silencio de um beijo.
Tenho vivido assim, sem sentido, como que se de uma circunferência se tratasse, em que por mais voltas que eu dê regresso sempre ao mesmo lugar.
Há quem lhe chame a roda da vida, o ciclo dos dias, eu prefiro chamar-lhe simplesmente, o movimentos dos dias sem sentido.
Sabes,
Nada tem sentido se não estiveres presente, se eu não tiver a caricia do teu toque, da tua pele, ou o sabor dos teus beijos.
Ou se o meu pensamento estiver invadido por ti, mas a minha cama permanecer vazia de nós.
Nada faz sentido…
A minha vida está vazia, seca, inerte,
quase tão seca quanto a minha boca, os meus membros, o meu sexo.
Sinto-me teu, num espaço em que estou apenas eu,
Sinto-te minha, mas teimas em baralhar-me a razão com os teus medos, com as tuas angustias,
O que faço?…
diz-me….
guia-me….
sinto me perdido…
Ilumina o meu caminho, indica-me a direção.
Será isto o Amor que tanto falam?
Será isto apenas tesão? Vontade? Solidão?
Ó meu Deus…. o que me aconteceu?
Porque me sinto assim?… estou só…. mas não me sais do pensamento.
E este relógio que não anda, que não muda os ponteiros, que não te trás para mim…
Há sempre um tempo que não chega….
que teima em não chegar….
e com isso, a vida escorre-nos pelos dedos,
nesta roda da vida que não pára.
©PSassetti #69Letras 18.04.2017

Deixar uma resposta