O que acontece no Porto, fica no Porto…

V: Saio do aeroporto a alinhar a saia… Esta escala pensada no Porto vai dar para relaxar, depois da viagem sem um pingo de diversão a Londres. Só volto a Lisboa na segunda feira e vou aproveitar para relaxar este fim de semana… Tenho algumas pessoas para visitar, mas é um novo conhecimento que anseio… Mas primeiro, um bom hotel…

R: Desde os tempos de adolescente que o comboio ganhou um fascínio a que me entrego com gosto. As viagens quinzenais para ir ver o meu pai… As amizades de três horas que fiz… Maravilhosas adolescentes que me libertaram as vergonhas… Estava na hora de conhecer o Porto.
A “coisa” não começava bem…
Teria de ficar mais um dia que o previsto  para a compra que vinha fazer.
Onde passar a noite…. Primeiro problema…

V: Gosto de ficar no centro, para me poder deslocar com facilidade e encontro um três estrelas no coração da cidade através da aplicação no telemóvel. Dirijo-me para lá, ansiosa por um banho e alguns momentos de relax.
Entro pela recepção e bastante contente com o que vejo dirijo-me à recepcionista, uma loira de olhos castanhos, cor de mel, impecavelmente vestida. Focada no meu objectivo, esbarro contra um corpo que se me atravessou no caminho. Sinto um cheiro viril mas ao mesmo tempo suave, sou amparada por umas mãos fortes e quando me viro para pedir desculpas, dou de caras com umas feições deliciosamente desenhadas e um sorriso impregnado de uma certa malícia.
“A menina está bem?”
Digo que sim, tento alinhar o que já é impossível de voltar a pôr no sitio e volto à minha demanda, seguida cavalheirescamente por este ser que me atordoou os sentidos…

R: “Devia me ter desviado… Mmm…
E perder a oportunidade de sentir aquela cintura…? Naaa…”

Falar comigo em pensamento começava a ser quase como ter o Anjo e o Diabo a minha volta…
O cheiro dela ficou em mim…
Como se não bastasse a forma como a saia lhe caia, vincando a cintura e as coxas apetecíveis… para me fixar na sua apetitosa”alma”…
Foi me impossível deixar de a visualizar sentada em mim ,com aquela saia bem levantada…
A escolha ao acaso de sítio para dormir, parecia prometer.
Acabei o café, enquanto a “saia” acabava de se registar.
Quando por mim passou em direção ao elevador, algo mais que o corpo se elevou ao sair do sofá…

V: ​Tentei-me​ ​concentrar​ ​no​ ​registo…
Sentia​ ​o​ ​olhar​ ​que​ ​me​ ​percorria​ ​milímetro​ ​a​ ​milímetro…​ ​Senti​ ​o​ ​toque​ ​de​ ​há​ ​segundos​ ​e​ ​desejei​ ​o calor…
A​ ​imaginação​ ​é​ ​uma​ ​arma​ ​poderosa…
Peguei​ ​nas​ ​malas​ ​e​ ​percorri​ ​aqueles​ ​metros​ ​até​ ​ao​ ​elevador…
A​ ​minha​ ​malícia​ ​mais​ ​forte​ ​que​ ​eu,​ ​impeliu​ ​os​ ​meus​ ​passos​ ​até​ ​passar​ ​por​ ​ele…
Usando​ ​o​ ​meu​ ​balancear​ ​de​ ​anca​ ​,​ ​tal​ ​qual​ ​o​ ​flautista,​ ​hipnotizando-o,​ ​chamando-o​ ​para​ ​mim…
Seguiu-me…

Fonte: Fifty Shades Darker movie

R: Paramos​ ​os​ ​dois​ ​à​ ​espera​ ​do​ ​elevador.
“Espero​ ​não​ ​a​ ​ter​ ​assustado…​ ​Recuperada?”
Com​ ​um​ ​baixar​ ​de​ ​olho​ ​malandro…
Respondeu…
“Sim…Magoei-o?”
Apeteceu​ ​responder​ ​que​ ​esperava​ ​por​ ​alguma​ ​dor​ ​mas​ ​não​ ​era​ ​já​ ​…
Mordi​ ​o​ ​lábio​ ​e​ ​afastei-me​ ​para​ ​lhe​ ​permitir​ ​entrar​ ​no​ ​elevador.
Sorri​ ​ao​ ​ver​ ​o​ ​elevador​ ​semi-cheio…
“Que​ ​lhe​ ​passará​ ​pela​ ​cabeça???”
Aquele​ ​encostar​ ​em​ ​mim,​ ​foi​ ​a​ ​resposta…
O​ ​elevador​ ​subiu​ ​de​ ​andar​ ​e​ ​de​ ​temperatura!!!

V: Porque raio me fui encostar… Ai estas minhas ânsias… Senti o perfume, o calor, a tesão encostada ao meu rabo… Ai… Eu não presto… Roço-me despreocupadamente e ele solta um ligeiro grunhido como quem limpa a garanta, tentando disfarçar o indisfarçável…
Chego ao meu andar, olho para trás e vejo no seu rosto a vontade que lhe lateja no membro… Ele também sai… Sorrio agora mais maliciosa… Ainda mais…
Passa-me pela cabeça a ideia de afogar aquele sorriso entre as minhas pernas… Será que estamos a pensar no mesmo??

R: Ok… Esse sorriso sacana fez me perder o cavalheirismo pelo poço do elevador abaixo!!
Estanquei no corredor sem tentar minimamente disfarçar que a despia com os olhos…
Senti a boca secar…
As calças já me incomodavam!
A mente voava à procura da forma certa de a despir!!
“Não!!
De meter conversa!!
Só conversa!
Não a queres de quatro!
Deixa de quereres trocar aquele sorriso provocador por gemidos!!
Raio da saia e do rabo que a enche!!!
Perco-me!!”

Pensei… Entrando em discussão com os meus diabos!
“Um banho!
Preciso de um banho e nada mais!!”

V:  Vejo a confusão no olhar dele… Se calhar devo esperar… Afinal estamos no mesmo andar… Mas quero, não me sai da cabeça aquela cara de escárnio enterrada nas minhas coxas… Sim, definitivamente montar-lhe a cara enquanto só lhe dou espaço para me ver os olhos ia-me acalmar… Vou mas é livrar-me da poeira, pode ser que isto acalme…
Água a correr, música a tocar e mergulho num duche quente… Na parede contígua, sinto os meus movimentos repetirem-se… Serão assim tantas as coincidências?
Nem durante o duche aquele olhar me sai do pensamento… Depois do banho deve estar ainda mais apetecível…Raios!
Saio… A agua do outro lado também deixa de correr… Embrulho-me no roupão fofinho depois de me secar, não preciso de mais nada para o que vou fazer a seguir…
Descalça, abro a porta do meu quarto e bato na porta ao lado… É mesmo ele! Está com a toalha à volta da cintura e algo me diz que também eu não lhe saí do pensamento durante o duche…

Fonte: Mario Testino photografy

“Olá!”

“Olá! Entra…”

#ReadMyMind & #VickyM

#69letras

Deixar uma resposta