Desejo odiar-te…

Quando acordei tu já não estavas. Já tinhas partido.
É impressionante, mas fazes-me sempre isso, invariavelmente, embora saibas bem que me deixas despido, sem alma, vazio, triste.
Porque me tratas assim?
Sinto-me só neste quarto vazio de hotel.
Sinto-me usado, abusado por ti.
Sabes….
Desejo odiar-te, desligar-me de ti, esquecer todo este tesão que me consome quando teimas em invadir a minha acalmia.
Odeio-te mulher….
Raios mulher….
Odeio gostar de ti, dos teus beijos, do teu corpo…
Sabes…
Tu foste embora, mas pelo quarto ainda ecoa a tua respiração ofegante, os teus ais, os teus gemidos, os teus gritos de prazer.
Nos lençóis onde me enrosco, o teu cheiro adocicado de pecado está ainda bem cravado e misturado com os nossos fluidos de prazer.
Na minha boca, na minha língua, está ainda o teu sabor, o teu suco, o teu tesão.
No meu sexo abusado, está ainda o teu batom vermelho. Sinto ainda o pulsar dos teus lábios nele, quando doida de tesão, quase que o arrancavas.
Pelo meu corpo estão ainda os teu beijos, o toque da tua língua, as tuas unhas cravadas.
Tu estás em mim, mas sinto-me só, aqui neste quarto de hotel vazio…
Porque me fazes isto?
Porque teimas em usar e abusar de mim….?
Porque raio não te odeio?
Quero odiar-te, mulher cor de canela com sabor a pecado.
#PSassetti #69Letras 24.04.2017

Deixar uma resposta