Caçador ou presa?

Ela é pura magia, de pele branca e luzidia, beleza imaculada, numa tela de tantos sentires pintada, corre-lhe no sangue o bem, na Alma o melhor que tem, transmite no olhar a candura, da sua essência doce e tão pura, que serena todo o mal, com a sua forma angelical, que sem querer enfeitiça, e desejos caprichosos atiça.

Ele a personificação do mal, de sangue quente e animal, que uiva à luz da Lua, e quando sente o cheiro da sua pele nua, que lha baralha os instintos, alguns que pensava extintos, teimam em reavivar, ao sabor desse aroma de encantar, que lhe acalma o corpo e sossega, mas a sua Alma cega, lutando para a encontrar, sem saber porquê, ou por mero instinto de caçar.

E como que por feitiçaria, o luar tornou-se magia, encontram-se a medo, ele rodeia-a tentando revelar o segredo, ela imóvel deixa-se desvendar, sem receio nem pudor, pois ele nos olhos carrega tanta dor, como se estivesse condenado, a ser infeliz e nunca amado.

Tendo a Lua como testemunha, sem nada que o pressupunha, tornam-se caçador e presa, ele rendido à sua beleza, e ela à sua carência de amor, dissipa-lhe toda essa dor, num casamento eterno, entre o bem e o Inferno, em que o amor prevalece e todo o mal se desvanece.

© Miss Kitty 2017 #69Letras

Deixar uma resposta