A intensidade do que sentes, acontece dentro de ti

Estar assim sentada num banco de jardim ao teu lado, onde a primavera não apareceu e cedeu passagem a um tórrido dia de verão. Está calor, estamos no centro da cidade, atrás de nós passam os carros e de costas voltadas para eles temos as paredes de uma casa escondidas pela sombra que aumenta na rota do sol. Não há grande beleza, ninguém para olhar para aquelas paredes… mas nós, ali sentados, lado a lado sentimos a intensa beleza quase infinita que o vazio nos dá.

A intensidade do que sentes, acontece dentro de ti, quando não é a vista que te  entorpece mas sim, quando tu passas a ser o elemento fundamental da paisagem. E ali, virados para uma parede nada parecia mais certo, do que a tua mão na minha perna e o meu nariz a sentir o odor do teu pescoço.

Gosto de mergulhar na imensidão dos nadas, sem deduções, pensamentos ou melodias. Apenas dois corpos, sólidos, que passam a pertencer à paisagem.

 

A sombra aumenta e fugimos do sol, com o corpo quente abraçamo-nos ali quase colados às paredes solitárias daquela casa… estão frias, está na hora de ir, cada um para o seu lado.

Sigo, inspiro e levo o teu cheiro comigo…

© 👠Cátia Teixeira, Vizinha 69 Letras 2017

Deixar uma resposta