Tremendo

Pediste que pensasse em algo que me fizesse tremer as pernas e não foi por associação que me surgiste nos pensamentos…

Cru e nu de língua afiada a entorpecer-me os sentidos, o corpo, a alma…

Cada pedaço de pele que tocas torna-se teu, derrete e funde-se na ponta dos teus dedos. Somos carne pura, somos fogo, somos sintonia, somos um corpo só unido numa dança, numa feitiçaria em honra de todos os deuses hedonistas…

A visão dos nossos corpos enquanto se consomem sem se diminuírem é perfeita e guardo-a em mim, guardo-te em mim e escorres-me entre as pernas cada vez que te recordo, que te penso, que te sinto ainda que estejas longe… Levo-te comigo nas fantasias onde me toco na esperança que me sintas aí onde estás, por entre bosques encantados, e te deixas levar pela natureza e te afagas como o sol beija a terra quando a acorda ao de leve… Ai esses beijos… Essas delícias que gostas de distribuir pelo meu corpo, pela fonte do meu néctar em que te perdes em banquete… Ai… Mais uma vez aí… Todas as memórias de ti acordam um pouco do mim… Mas é o teu abraço… Aquele em que me envolves quando arquejo e espasmo debaixo de ti, rendida ao prazer, possuida por uma qualquer pomba gira que me sacode e me faz escava desse sexo viciante… É nesse abraço que me entrego por completo, é nesse abraço que me tremem as pernas…
Portanto sim… É em ti que se perdem os pensamentos quando o dia é mais aborrecido, quando a realidade é ridiculamente cinza. És tu quem pincela a minha vista de púrpura, vermelho, fogo… És tu quem me faz seguir de faísca acesa no olhar…

© Vicky M 2017 #69letras

Deixar uma resposta