“Se não te viras tu viro-me eu”, magia: 69!!!

Um mês… Um mês passou desde que estivemos juntos… desde a noite em que te surpreendi com aquela lingerie… e tu me surpreendeste com um oral de fazer subir as paredes mais altas… Surpresa um oral?! Estamos juntos há alguns meses… Mentira, vamos estando juntos de vez em quando de há uns meses para cá e ainda não tínhamos chegado aí. Tu não tinhas chegado aí…“És uma ganda maluca…”

Decidimos desde o início que não haveria compromisso entre nós. Quando desse, quando quiséssemos, só sexo… Sem paixões, justificações ou complicações… Ninguém ia saber. Entre a loucura dentro do carro à beira mar e as noites em tua casa ainda não me tinhas deliciado com o toque da tua língua…

Há um mês que insistes para aparecer na tua cama novamente, para te surpreender… e tenho sempre recusado. Não fizeste o mesmo por mim quando era eu que estava a rebentar de vontade, de desejo, de saudade de te cheirar, sentir, ter dentro de mim… Era sempre eu a ir ter contigo!

-“Estava capaz de ir ter contigo e voltar… só para te elevar ao céu! Tenho a língua a tremer…”

OMG!!! Assim do nada uma mensagem destas… Fdx que vontade… Só de pensar… mas não… “Não me iludo com essa conversa. Sei que não vens. Não prometas o que não podes ou não queres cumprir…”

-“Se soubesse que não seria visto a entrar no teu prédio já estaria a caminho… Assim neste caso podias vir tu ter comigo.”

– “Eu vi logo… Promessas… Vou tomar um banho e descansar. Fica bem”

-“Então não vens mesmo?”

– “Eu até vinha se me fizesses vir mas assim não”

Tento manter o humor e não parecer aborrecida por ser sempre assim, o caminho só tem um lado… Estás sempre à espera que te surpreenda, que seja eu a conduzir quilómetros…

-“Já te deixei mal?! Aliás podias vir na segunda feira…”

Não, não me deixaste mal. Não me deixas mal desde o primeiro dia em que só o toque dos teus dedos pelo meu corpo me fez desejar que fosse sempre assim tão bom… Só o toque dos teus lábios na minha pele, o sussurrar ao ouvido, a respiração acelerada… Só isso já me deixava a certeza de que queria mais. Mas não te podia dar esse valor…

-“Também pensei nisso mas como tens o jantar fica sem efeito.”

-“Sim, mas às dez estou despachado e a sair de Lisboa”

-“Deixa, teremos mais oportunidades…”

 

Um mês… Não passa de hoje! Não pode!!! Recebo a tua mensagem e faço-me de difícil.

-“Então é hoje que vais aparecer na minha cama?”

– “Já te tinha dito que não. Não estás no aniversário do Jonas?”

– “Sim mas daqui a pouco estou a sair de Lisboa e a voltar para Pinhal Novo”

-“Então falamos quando chegares a casa.”

 

Na minha cabeça estava tudo pensado… Já ia a caminho. Saí de casa às 21.30, tu sairias de Lisboa às 22h, estaria no estacionamento à tua espera com aquele vestido preto que deixa aparecer as pernas e mostra toda a minha silhueta… Aquele que esconde a lingerie que adoras descobrir e despir quase à dentada…

Tudo decorria como planeado.

– “Mas vens?”

-“ Claro” (ironia) mal sabias que já estava a caminho.

-“Vou ficar à tua espera”

-“Sabes que não vou”

-“Ok tudo bem… Bjs”

 

Se saías de Lisboa às 22h, por mais trânsito que apanhasses são 23h, já devias ter chegado. Aguardei, já sabia como eram os jantares com amigos. Mais um copo, a conversa à porta do restaurante… Decidi esperar. Desesperar…

Desta vez atravessei a ponte, esperei à porta de tua casa, espicacei-te por mensagem e surpresa!!! É meia-noite e não chegaste. Não tinhas a culpa. Não sabias.

Enviei-te mensagem: “É meia-noite, estou à 1h30 no carro à tua espera. Vou embora.”

Quando me disseste que não acreditavas que estava à tua porta enviei foto para saberes o quão louca estava para ali estar, depois de tantos quilómetros, àquela hora da noite, no vestido preto que adoras despir só para descobrir o que trago por baixo…

-“Não vales nada!!! Estou a ir para aí. Fdxxxx”

Percebi o pânico nas tuas palavras. Não esperavas. Não tinhas a culpa porque não sabias mas no fundo tinhas tanta vontade quanto eu…

-“Não vou esperar mais uma hora. Estou cansada, é tarde…”

-“Não demoro uma hora. Espera tonta.”

Adoro que me chames tonta, tontinha… toda eu tremo de desejo e sabes que consegues o que queres quando me tratas assim… Bahhhh vou ter mesmo de ficar…

– “Já não sou boa companhia…”

– “Eu aguento. E no mínimo dormes descansada e quentinha”

Mas eu não queria dormir. E se pensavas que ias dormir…

Chegaste! Olhaste para mim sentada dentro do carro e sorriste. Sai. Consegui perceber pelo teu olhar que me estarias a chamar louca. Louca por estar mesmo ali. Louca por ter esperado tanto tempo. Aproveitaste-te disso e aproximaste-te o suficiente para me sussurrares ao ouvido “isso é tudo vontade?!” Encostaste-me ao carro e toda eu já estava a ferver, já me sentia molhada só por conseguir sentir a tua tesão através das calças…

Quando entrámos em casa o destino era só um. Cama. Roupa por todo o lado. As tuas mãos, a tua língua, todo o teu corpo… “Vira-te para mim…” “Desculpa?!” E do nada “se não te viras tu viro-me eu”, magia, 69. Sexo, do mais louco, do mais incrível…. AHHHHHHHHHH aquele orgasmo que dura e faz o corpo contorcer, tremer e viajar noutra dimensão… Repeat!!! “Porque olhas assim para mim?!” “Adoro ver a cara que fazes enquanto sentes prazer…” AHHHHHHHHHHH Uma noite com direito a tudo… Valeu em muito o que esperei. Soubeste compensar-me. Repeat!!! AHHHHHHHHHH “Só te quero satisfazer…” Deste cabo de mim. Missão cumprida! Quero lá saber se os vizinhos ouviram…

O despertador tocou. Procuraste novamente o meu corpo despedido que de alguma forma já se encontrava pronto para o que aí vinha… essas mãos, essa tesão, esses beijos…. Ainda tínhamos tempo para repetir. Outra vez… AHHHHHHHHHHH

Deixaste a cama, ou o que restava dela, um banho rápido e pronto para ir trabalhar. Eu fiquei deitada. Um beijo de despedida: “descansa e quando saíres deixa a chave no correio. Avisa-me quando chegares a tua casa.” Pedi-te para me dares dois minutos. Precisava falar contigo.

“Vou estar fora em trabalho. Só poderemos estar juntos novamente daqui a dois meses…”

Dois meses! Fdxxxxx!!! Dois meses…

 

SillyMe

 

 

Deixar uma resposta