Prendas

Foi dia da mulher… Enfim… Como se espera na minha profissão, foi só mais um dia de labuta… Nem me recordava do facto até chegar, fardar-me e ser surpreendida pelo meu colega com um sorriso, um beijo e uma flor… “Feliz dia, gaja!”
Achei piada, não esperava aquela recepção e quando atrás de tudo isso vem o meu café exatamente como gosto, não resisti a pousá-lo e abraçar aquele corpo que todos os dias está ao meu lado mas que nunca percebi o quão forte era…

Senti os músculos do seu peito definido contra a minha face e os braços envolveram-me num aperto delicioso e com um cheiro característico e inebriante…

Sempre estivemos em pé de igualdade nas nossas funções, talvez por isso nunca tenha reparado naquele homem sensual ali mesmo à mão de semear… O abraço juntamente com a atitude fez-me olhar para ele de forma muito diferente e passei o dia desconcentrada a imaginar o que faria com aquela careca e a barba ruiva… Como desejava sentir a plenitude da força daqueles braços… No fim do expediente, a dirigir-me para o balneário, sinto o cheiro e logo de seguida o toque nos ombros… Ele sussurrou-me no ouvido “Ainda é dia da mulher, permites que te mime mais uma vez?”
Assenti, deixei que me levasse até um canto onde nos esperava um banco corrido onde me depositou, despindo-me da cintura para baixo e saboreando-me com delicadeza, deixando-me a voar…

Senti-me uma deusa a ser devorada por aquele ser do Olimpo…

Cresceu em mim uma necessidade urgente de ser penetrada, ali, assim… Ele leu o meu corpo e usou os dedos fazendo com que atingisse o orgasmo em segundos… Sacudi em êxtase, gemi até que me tranquilizei e abri os olhos em luta com a luz fusca do espaço… Ele já não estava… Aos meus pés, um bilhete… “Que pena ainda faltar tanto tempo para o teu aniversário…”

© VickyM 2017 #69letras

Deixar uma resposta