Eterna é a noite que dá descanso aos poetas e aos amores escritos

Eterna é a noite que dá descanso aos poetas e aos amores escritos, como gritos malditos, escrevemos poemas em tranças, rendilhados, só nós sabemos que letras e pensamentos colados lá estão, vendidos,a metro, sem conserto alguns, desacertos da mente, ou não, apenas trocados.

Só quem escreve sabe o que escreve ou para quem escreve, não adianta adivinhar, pensamento de escritor é assim mesmo, estertor da alma quando está dorida, quando rejubila, quando ama ou desama, quando sais a rua e é dia, e não é, é noite, breu, definhar, ou apenas é um lusco fusco ténue de esperança, que a vida que nos lê, não seja mais vida parida.

Mas escritor também sofre de amor, dor, falta de fé, desconcerto até de sentir apenas a cor na escrita, escritor é a mão na caneta, escreve como um cometa que atravessa o planeta por seu próprio pé, sem pedir licença para entrar no pensamento do comum cidadão, aquele que a horas certas toma o seu café, lê o seu jornal, viaja de pé nos transportes públicos, sem se sentir observado, por nós , o da mente seu parasita.

Ser escritor é ser vadio, ter a alma num corropio quase sempre, mesmo quando diz que está sem inspiração, ele caminha, divaga, faz bolas de sabão onde não existem, faz arco-iris onde só existe fumo e degradação, sonha, imagina, salta pula e dança como uma criança, e ri sozinho tipo macaquinho de circo quando algo sai, quando nem o frio ou a chuva o retrai e pelo contrario tudo serve para escrever, quando embalado vai.

Depois existem os outros, os pseudo, os da treta, os do plágio esse contágio que cada vez mais prolifera, que nem sei que se possa chamar, dão duas ou três larachas para o ar e faz-se um filosofo da escrita, um douto senhor, doutorado em letras de cor, o rabo na cadeira agita e pronto lá sai uma alarvidade bera, uma ou outra frase de um escritor, e altera-se a forma e fica uma beleza, ninguém repara e a coisa fica bem dita.

O nosso mundo, o daqueles que pensam pela própria cabeça, que sabem onde está sem a apalpar, sabem em que pensamento se situar para escrevinhar, sem ser preciso ir ver dicionários, frases de escritor de pensamento vivo, copiar, palavras lavradas por gente de dias e horas sentadas, que nascem já observadores de coisas, gestos, formas de estar,somos esses, os estranhos, os que adoram ser assim, que pedem respeito, porque se não tens jeito, cresce, lendo um livro.

© O Inquilino 69 Letras 2017

4 comentários a “Eterna é a noite que dá descanso aos poetas e aos amores escritos”

Deixar uma resposta