Aquele beijo …

Tudo pára e ficamos ali ,
no meio do nada …
Atentos um ao outro … Sem ouvir nada em redor …
Levitamos e por momentos deixa de haver mundo …. os segundo param no relógio !
O peito rebenta de euforia , em câmara lenta …
São entregas únicas … para quem as vive !

-Mas acrescento….
o nada passa a ser tudo quando ficamos ali….
e naõ há relogio que ande,
que segure a paragem do tempo……
e não é só o peito que rebenta de euforia…..
a explosão do peito espalha a euforia por cada pedaço do corpo…..
em mutações constantes entre a rapidez do querer e a procura da lentidão de querer ficar ali sempre…..

#*My sighs*69Letras® 02.03.2017

Deixar uma resposta