Texto Erótico | M18 ?????

A mesa de jantar estava na varanda, ao pé da janela. Eu, encostada ao parapeito, as minhas costas para ti. Sempre gostaste das minhas costas, suponho que tenha sido então a primeira vez que reparavas nelas. Os teus dentes chegaram de rompante e cravaram-se no meu pescoço como se já me estivessem a sentir o gosto mesmo antes de me tocar. As tuas mãos assaltaram o meu corpo e não deram espaço para permitir menos do que a minha entrega.

Eu derreti, como gelado no verão. E tu sentiste. E foi isso que tu mais gostaste.

E foi isso o que eu mais gostei. E tu esbarraste o teu corpo contra o meu com a raiva de quem se apaixona, e eu entreguei-me mais ainda, como se isso fosse possível! -mas era. E foi. Manuseavas-me como se o meu corpo tivesse sido feito para responder a cada toque teu. As minhas pernas estavam nuas.. mas eu era capaz de jurar que tinha chegado a tua casa de calças vestidas. Puxas-me e beijas-me, e a pele da tua anca é tão suave de encontro à minha nádega, que me arrepia a espinha e me arqueia as costas. E eu sei o que aí vem.. Já tínhamos tropeçado um no outro antes, lembrava-me bem do que me esperava mas não foi por isso que a surpresa foi menor -de todo!…

Enterraste toda a tua vontade em mim, roubando o meu fôlego e o meu coração de uma só vez e, de repente eras tu quem se entregava e derretia. E eu senti.

E foi isso que nós mais gostámos. E eu implodi à volta do que tu explodias, e temia morrer nos teus braços porque se te entregasse mais de mim, entregava a minha alma, como se isso fosse possível!..-Mas era! E foi. E eu morri, e quando dei por mim acordava no paraíso dos teus braços e não acreditava que era possível…

E não era…
Porque não É!
F@da-se

~Só

#69letras

Deixar uma resposta