Boa noite bichinha

Fui amuada para a cama… “Tenho de acabar isto… “ disseste com ar determinado mas longínquo… lá me deitei, nua nos lençóis suaves, talvez para sentir a carícia deles à falta das tuas…

Acabei por me deixar cair no sono, resignada e só me lembro de sentir um calor, o teu calor a entrar pela cama… Uns dedos inquiridores mas muito leves verificaram se haveria algum impedimento no caminho para, sem avisar entrar em acção uma língua que vinha determinada e com um só objectivo… Devorar-me!

Avançaste pelo interior das coxas e só te detiveste quando a ponta da língua detectou o manjar que já estava à espera dela… Qual bichinho bebeste todos os sucos que de mim escorriam, deleitaste-te e quando o prazer já não me cabia nos gemidos e no serpentear das ancas que anunciavam o orgasmo que aí vinha, explodi na tua boca, costas arqueadas e fonte a jorrar o teu doce favorito…

Sussurraste... “Boa noite bichinha…” e adormecemos…

© Vicky M 2016 #69letras

Deixar uma resposta