Sou dono de ti

| Conto Erótico | Maiores 18 |

 

Sou Dono de ti, hoje apetece-me ser Dono de ti, das tuas vontades, dos teus desejos, sou o teu Dono e tu serás o meu instrumento de prazer, o teu corpo será o meu piano, os teus gemidos as minhas notas musicais, e irei compor uma musica produzida por ti, através do teu corpo, não porque o quero, mas porque tu o desejas, saciar os meus caprichos mais devassos.

Não me apetece o tradicional sexo banal, apetece-me comandar o teu corpo, a tua alma, para o meu mundo obscuro, onde tu serás o que eu desejar que sejas, gozarás quando eu achar que o deves fazer, irás vir-te quando eu achar que deves, e com isso levarei-te há beira da loucura sã, aos prazeres mais escondidos do teu corpo, mas aos orgasmos mais infernais da tua alma.

Não queres ser normal, como todas as coisas boas normais, queres saciar-me, satisfazer-me por forma a que sejas saciada, que tenhas a fome controlada, alimentada, tratada, e amanhã, será novo dia.

Sou Dono de ti, e tu comandas-me, a mim, aos teus prazeres, quando jazes deitada, despida para mim, para eu desfrutar do teu corpo, quando apago as luzes e ficamos em absoluta escuridão e eu percorro o teu corpo, com as mãos, tocando, levemente nos mamilos, quando a minha barba roça o teu pescoço e deixa aquelas pequenas irritações, típicas da barba, quando te afasto as pernas e no silencio te masturbo bem lentamente, deixando-te aquecer bem devagar, aquele subir de temperatura bem lento, que vai subindo as humidades do teu corpo, com leves toques dos dedos aqui e ali, sem teres a noção de onde vai acontecer o a seguir, vai ser como eu quero, porque eu quero, talvez seja uma pedra de gelo nos mamilos, talvez seja a ponta dos dedos nos teus mamilos, talvez sejam os meus dentes nas tuas orelhas, seja o que for, quero-te quieta a sentir, o que eu quiser e como eu quiser, já te sei excitada e completamente molhada, as cuecas estão quentes e húmidas, já estou dentro do teu corpo, dentro da tua alma e só apenas te toquei.

Não quero demais, mas quero devagar, a rapidez é a inimiga da perfeição, deixo-te as cuecas molhadas e enfio os dedos por dentro delas, massajo o clitóris bem lentamente, está bem molhado, os dedos deslizam facilmente, a tesão faz um efeito tentador, provocador, mexe contigo por dentro e mais por dentro te mexo quando meto um dedo, e ele desliza perfeitamente, e deixo ir outro dedo, brinco com eles ao vai e vem, deslizam deliciosamente pelo teu sexo encharcado.

O teu corpo já transpira deseja, já sua prazeres, mas eu continua a comandar-te bem devagar, mesmo quando pego em ti e te faço rodar para ficares de quatro sobre a cama, em que te dobro para ficares com as nádegas bem empinadas, e a cabeça quase encostada ao colchão, onde finalmente te dou um beijo nos lábios e te mordisco suavemente o teu lábio, te belisco os mamilos com suavidade e soltas finalmente o primeiro acordo musical, e depois o segundo e o terceiro, e começo então a mexer no meu instrumento, provocando prazeres, ora brincando com os mamilos, ora com o clitóris excitado ora com a vagina a pingar de desejo, já não são notas musicais que desejo, desejo sim instrumentalizar o teu corpo, o teu desejo, quando te penetro com dois dedos e os mexo e remexo dentro de ti e tu gozas alto, quando com a outra mão, ora te dou palmadas no rabo ora te masturbo o clitóris a os gemidos já são agora fortes, tentas resistir aos meus avanços e eu apenas quero que soltes aquele orgasmo que te prende, que tentas guardar para quando eu entrar em ti.

Mas não quero entrar em ti, quero que gozes, e por fim, irás gozar, irei mexer, remexer com as tuas vontades, com os teus desejos, as tuas fantasias, e ali mesmo naquela posição, comigo remexendo a tua cabeça te iras vir, e irás tombar ao meu colo, após este mesmo orgasmo que acabaste de atingir.

Recupera, espera-te agora saciares-me a mim.

 

#NMauFeitio 69Letras® 27.02.2017

Deixar uma resposta