“Espreito pela janela entreaberta e lá estás tu…”

Texto Erótico | M18

“Desce… ”
Diz a tua mensagem! Sem mais nem menos… Não me faças perguntas mas sinto-me nervosa… Espreito pela janela entreaberta e lá estás tu.. de mota???!!!
Não foi esse o combinado, mas não me resta alternativa. Bebo o último gole de água, agarro no primeiro casaco que apanho e fecho a porta de casa.
Tenho que ser rápida…espero não me cruzar com nenhum vizinho…(penso para comigo!)
Abro a porta do prédio, sinto um bafo quente, está calor? Nem me tinha apercebido, com tanto nervosismo até os pêlos estavam em pé…
E de pé estavas tu, com esse sorriso malandro, que confesso, fora o que mais me cativou em ti desde a primeira vez que nos cruzámos…
Olho para ti, cumprimento-te com dois beijos na cara e um sorriso meio tímido.
(Porra… O que é que vou eu fazer????)
Passas-me o capacete para a mão e delicadamente explicas-me o que fazer com ele.
És tramado!
Enquanto me compões o cabelo, roças a ponta dos dedos na minha nuca, até me fazeres tremer as pernas inadvertidamente…
Mau…
Respiro fundo, tento dar uma de durona, insensível, mas no fundo… Podias-me comer aqui, agora que não me importava nada. Faz-me falta uma “one night stand”…
Estamos a caminho…
Não sei onde me levas, mas não sinto receio… Em caminhos mais estreitos, agarro-me a ti…com toda a força que tenho e desejo.
Acho que preferia ser eu a conduzir a minha carrinha…não me ia sentir tão dominada.
Gosto de ter as coisas sobre controle, mas contigo…
Bom, adiante, que calor! Cheiras bem, é a primeira vez que te cheiro… Lembro-me de repente… É a primeira vez que te toco…
Agarro com mais força, sinto-me bem. Livre!
Sem falarmos muito, observo a paisagem e tento adivinhar onde me levas, vejo árvores, curva contra curva… Parece-me familiar! Meco? A ideia agrada-me!
Afinal…. Tens bom gosto. Sinto-me mais confiante agora.
Aproveito e activo o meu modo atrevida… Desço as minhas mãos, toco nas tuas calças, ao de leve, não quero que te desconcentres agora. Ou quero? Que se lixe, vou descer mais um pouco, ao mesmo tempo que a minha mente se assombra com tantas maldades… Senti-te! Estavas duro como uma pedra, era visível o volume debaixo da tua roupa…
Calma, pensei eu.
Calma o Diabo!… Tem de ser! Delicadamente desaperto-te o fecho das calças enquanto conduzes… Sem olhar para trás… estás tão concentrado? Ou talvez não.
Coloco a mão… Porra que pedra.
Estou molhada já…
A excitação é tanta, que por mim paravas já a mota!
Leste-me o pensamento…
Abrandas, há um caminho ali… Árvores, mato…começo a ficar nervosa novamente. Páras junto a um pinheiro gigante. Perfeito penso eu…
Ajudas-me a sair e reparo no volume das tuas calças.
“Estou fodid@…”
Não estou mas espero ficar… penso quase tão alto que por momentos pensei que tivesses ouvido. Estás por trás de mim sinto-te…tão próximo…tiras-me o capacete e sinto o teu membro encostado à minha traseira. Toda eu tremo…
Vais me comer?????
Fundo….!!
Isso não me sai da cabeça!
Nãoooooooo… Eu não resisto, não me podes comer assim, há uma coisa que tenho que fazer primeiro.
Viro-me para ti e beijo-te… É doce, é salgado, não me deixas saborear.
Estás sôfrego… Como se precisasses que te desse ar para respirar…..
Sinto novamente o teu sexo super duro. Não aguento vou fazer aquilo que faço de melhor! Vou fazer-te oral! Tenho que recuperar o controle há muito perdido….
Empurro-te contra a dita árvore, (engraçado nem me lembrava dela já…)!
Ajoelho-me ao mesmo tempo que te baixo as calças…não tens roupa interior!
Malandro, mal tu sabes que fiz o mesmo!!!
Cuspo para a tua cabecinha…vou ter que te abocanhar numa só investida! Tenho que te provar todo! Começo pela tua glande, passo com a língua em toda a volta ao mesmo tempo que te acaricio com as mãos as tuas bolas macias. Tenho que as lamber, aguenta!
Olho de relance para ti e olhas-me fixamente os olhos. Li-te o pensamento…. Vou chupar-te…. Vou sugar-te… Chupo-te e babo-me toda…
Adoro!
Engulo todo o teu líquido fluido que vai saindo…
Deitas-me a língua de fora, ar de malandro…
Espera aí que a malandra agora sou eu…
Agarro no meu novo amigo, “acho que nos vamos dar bem!”, penso para comigo…
Coloco a língua de fora…
Olho para ti…
Vou provocar-te um bocadinho…
Vejo-te a delirar…
Enquanto te masturbo com a mão, bato com esse monstrinho na minha língua.
Contra a minha boca… Quase de imediato me leste o pensamento… Com cuidado agarraras-me nos cabelos e avisas, “vou me vir”…
“Que seja”…..
E no mesmo instante sinto-te a tremer. Afinal não sou só eu, embora numa posição submissa, adoro a sensação de poder levar ao limite quem está comigo!……
Vens-te para dentro da minha boca…sugo tudo o que tens para me dar…não me cabe na boca…
Caramba… Que tesão!
Levanto-me, ajeito-me e estás pronto novamente.
Abraças-me.
Soube-me bem!
Que rapidez…
Sobes para a mota, ajudas-me a subir e susurras:
“A nossa viagem ainda não terminou!”

Sophia

Deixar uma resposta