Manda à m**** tudo o que te contraria. Foi o que fiz. É o que eu faço.

685934585c28bf8be8cbf4fbf5ecf581Quantas foram as vezes que mesmo com as pernas a tremer, prossegui caminho como se soubesse para onde ia totalmente perdida?

Quantas vezes encarei aqueles a quem mascara um dia caiu como se ainda eu fosse ingénua perante tanto teatro? Quanto de mim dei e palavras calei, entupida em lágrimas que às escondidas caíram?

A vida forçou-me a ser cínica, a esconder a verdade e a simular emoções. Somos todos actores neste mundo de representações, onde se tiveres o azar de ser o espelho da tua alma, corres o risco de usarem o teu reflexo contra ti. E se te deixas pisar, és mole, se não te deixas ficar apelidam as tuas defesas de frigidez e amargura. Aquele que te aponta o dedo, não vive para ele e centra-se no outro, não entende que a vida não pára e por isso não percamos tempo a olhar para o lado e a aturar “as dores e carências dos outros”.

 

 

 

Resolvam-se e deixem viver!

O ritmo de hoje é composto por horas corridas e se te distrais um pouco e te deixas sugar pelos outros, perdes a oportunidade única de te conheceres e viveres a tua vida com a tua energia…

 

 

bd7da6eb9366962261d8c10401f04387

Manda à merda tudo o que te contraria. Foi o que fiz. É o que eu faço.

 

 

 

Estive tempo demais sufocada por gente que tudo exigiam e nada me davam, deixando-me desamparada e a balançar com os vendavais da vida que aprendi a SER sem os outros. Tanto chorei e em silêncio judiei que hoje sou eu que aponto o dedo

e é o do meio.

 

A VIZINHA #69Letras

Fugazmente trauteando…

M18 ??

Mais uma noite… Por aí, mostrando a carne que queima, travando conhecimentos, brotando conversa regada a álcool… Um toque, um sorriso, um olhar e um beijo roubado no canto da boca… Vamos? Vamos!
É aqui que a mente me trai… Continuar a lerFugazmente trauteando…

Nao prestamos mesmo

Nós as mulheres, somos danadas!

Tanto queremos, como fingimos que não desejamos. Tanto morremos de amores como temos ódios de morte.

Complicadas? Não! Difíceis de acompanhar, sem dúvida!

Somos multifacetadas, dedicadas e exclusivas, rebeldes ou tranquilas.

Há as angelicais e não nos esqueçamos das traquinas.

Mulheres de todos os tamanhos e feitios!

Mas o que temos em comum, afinal? O que nos une? O que nos separa? O que nos define?

Somos todas diferentes, no entanto somos todas iguais. Somos como os homens, claro. Umas mais que outras.

Não passamos de seres humanos neste mundo onde a vida traça o destino e molda o carácter individual de cada um.

Sejamos homens ou mulheres, são as nossas experiências e caminhos palmilhados cada um à sua maneira que nos distingue dos demais.

Sentimentos e fragilidades.

Qualidades para uns, defeitos para outros, comum a todos os mortais.

Quanto a mim? Sou das rebeldes com coração de cordeiro!  Sou a pimenta na sobremesa escolhida a dedo no menu repleto de opções restritas.

Pertenço ao clube de mulheres que vivem à beira dos limites com adrenalina talhada no meu peito.

Sou uma entre tantas. O que faz de mim especial ou o que me distingue das outras?

A diferença está na intensidade dos sentimentos do olhar sobre nós todas.

©Miss Steel 69letras 2017 

Sorriso saudoso

De todos os meus amores tu és aquele mais saudoso, pelo qual ainda suspiro de cada vez que recordo o teu sorriso…
E recordo… No café da manhã, quando inspiro fundo… No fundo da rua nas velhas azedas de quem nos ríamos, ainda te vejo sorrir… Foram tardes, noites e dias inteiros em que nos abraçamos, rimos e amamos… Ainda hoje me questiono porque deixaste de sorrir para mim. Terei sido prepotente, arrogante? Ou terei te amado em demasia ao ponto de não conseguires respirar?

Será que simplesmente o nosso mundo não tinha as mesmas cores? Serei daltónico, talvez… Sentia o arco íris, contigo… Talvez tu não… Talvez te ofuscasse o teu brilho nos meus olhos… Se eu soubesse… Se soubesse rasgava o tempo com uma mão e parava esse presente que te fez passado… Um passado tão presente, tão próximo e longínquo em simultâneo que não consigo fazer dele memória e muito menos actualidade! Sinto-me como Ícaro, quero subir e olhar no Sol do passado mas se o faço em demasia corro o risco de cair e perder de vez a memória de todos os momentos que passamos, e consequentemente te perder… Ai Fado malvado e ingrato!

Não sei se é amor, se é saudade, se é o pedaço de mim que ficou em ti… Não sei se é verdade… Sequer… Não sei se é real este querer, se é por te perder, se é ego ferido, coração partido ou a pena imensa do futuro que morreu nesse adeus gelado… Sei que recordo teu sorriso, esse inevitável e saudoso sorriso…

O Vizinho #69Letras

Mau feitio? Temos pena!

Sofro de antecipação pelo que ainda não veio, numa ânsia que me deixa sem ar, incapaz de raciocinar e principalmente descansar.
 
Sofro
pela determinação e exigência que carrego e pela falta dela nos outros.
Fervo.
Em pouca água.
Fico cega e quente quando me sinto desrespeitada e peco quando por momentos me esqueço que somos todos diferentes e as pessoas devem ser respeitadas por quem são… mas é tão difícil!!!
 
Não posso com deslealdade e incoerência.
Perturba-me quem não sabe o que quer, ou não tem ambições.
 
Onde está o combustível que move as pessoas?
Qual foi o momento que deixaram de olhar para o céu há procura de novos horizontes?
Quando é que o chão se tornou interessante? Onde está o interesse em fazer sempre o mesmo caminho? Aquele mesmo que as pessoas se queixam!
 
É recorrente ouvir que tenho mau feitio.
Às vezes magoa-me outras estou-me mesmo a borrifar. A verdade, é que os poucos da minha vida, levam o melhor de mim, os outros, enfim, julguem-me.
 
Sou exigente e protejo as coisas que são minhas, e como leoa que sou luto por elas! Não dou liberdade para que me levem as minhas convicções.
Há coisas que se aprendem, e a verdade é que quanto mais facilitamos o espaço da nossa vida para outras pessoas, elas invadem-no e rapidamente perdem a noção dos limites. E naquilo que é meu (também me chamam possessiva, que se lixe!), defino muito bem a minha posição.
 
As pessoas vêm e vão, mas os teus alicerces e princípios não podem ser colocados em causa. São o teu edifício e o que te sustenta. É a tua salvação para te levantares quando todas as pessoas te pontapearem…
 

Por isso quem de ti gosta, excelente.

Quem não gosta, temos pena.

?Cátia Teixeira, Vizinha 69Letras® 2017

Mais uma marca no tempo

Maiores de 18 |    

Absorta, única, solta na minha selvajaria, livre de tudo… Assim sou eu contigo.

O olhar de quem se deixou ontem, a fome de quem não se vê há anos… Conheço-te, conheces-me e é sempre novo…

Vamos apimentar, hoje vamos realizar fantasias…

Visto a lingerie mais sexy que tenho, daquelas que não dá vontade de despir nunca, as meias pelas coxas e… Com o vestido preto, eu nunca me comprometo… Solto os caracóis e adorno orelhas e pescoço de forma elegante mas simples, já sei que se tornar quente e selvagem… Continuar a lerMais uma marca no tempo

Observo-te

Interessante a hipocrisia masculina.

A maneira como disfarçam instinto selvagem de caça por baixo de camadas de fraquezas e inseguranças.

Traduzindo, as desculpas esfarrapadas que o cérebro mesquinho inventa para se ver livre dum amor incómodo, esgotado ou que simplesmente nunca foi tão pouco amor.

” Não és tu, sou eu. “

Ainda apelando ao nosso lado humano, maternal até carinhoso por natureza. Coitadinho, está-me a dar com os pés mas é tão frágil que me sinto na obrigação de o proteger…

Julgam-nos assim tão naives?

Algumas serão, enfim mas não a filha da minha mãe!

Nesta vida aprendi que nunca se é desconfiado demais. De onde sai fumo, há definitivamente fogo! E que só é cego, quem não quer ver!

Mas a hipocrisia tem vários patamares.

Divertido é observar de longe o bailar dos tolos num palco aberto. Adoro!

Os olhares indiscretos nas costas, aquele sorriso que teima em não ser disfarçado e pois está claro as coincidências propositadas!

Tudo fruto da nossa imaginação, claro! Mas que paranoias insistentes que nos cegam.

És tão ciumenta, devias de falar com alguém, isso já não é normal…

E eis que chegamos ao patamar extremo.

Este não é para qualquer mero amador. Dissimular os seus próprios defeitos e fazê-los refletir na perspicácia dos outros… Uau!

Dispensa qualquer comentário! É de facto algo, incrível, quase digno de ser admirado.

O melhor é observar no silêncio dos nossos tronos e elevar-nos na superioridade da certeza de quem somos.

Não há arma melhor contra a hipocrisia do que estar de bem com a vida!

Que é como quem diz, estou-te a ver marmanjo! Mas não me afecta!

©Miss Steel 69letras 2017