Doze badaladas

| Conto Erótico | Maiores 18 |   Primeira badalada… Gosto de ti porra… Segunda badalada… Contigo a fome nunca passa… Só aumenta… Terceira badalada… Adoro-te atrevida e ousada para comigo… Quarta badalada… Quero mil vezes o que tive este ano que acabou… Quinta badalada… Quero possuir-te mais e melhor… Quero concretizar todas as tuas…

Na mesma mesa que essa pessoa

Há ligações que nunca se perdem. Laços criados, há muito construídos, inquebráveis que nem a distância desune. É por vezes incompreensível. Podemos não ver alguém à dias, meses, anos e volta e meia damos por nós sentados na mesma mesa que essa pessoa.

Um banho de água quente

Tu precisavas de falar e eu de companhia. Tinhas dito momentos antes que te saberia bem desabafar um pouco e sugeri que passasses por cá. O caminho de tua casa à minha é curto, umas meras ruas, embora a noite já tivesse aterrado há muito isso não foi impedimento.

Um espaço vazio

Estou sozinha. Nua. Ajoelhada do chão. As mãos na cara amparam as lágrimas que me queimam a alma. Não existe nada à minha volta. Nada! Apenas um espaço vazio. Tão vazio como o meu coração. Hoje o meu silêncio é tudo o que tenho para te dar. Já te dei o meu corpo, o meu…

15 minutos

Mais uma vez quero vos deixar um pequeno conselho e algo que defendo muito. Uma vez quando estava numa igreja a assistir a um casamento no qual era padrinho do noivo decidi prestar atenção às palavras que o padre dizia. Não sou muito disto admito. Tenho as minhas opiniões, as quais defendo e as quais…

Um pecado, meio ácido meio doce

Estava dorido, moído, sentia que tinha descansado pouco. Ainda estava em modo de arranque mas lembrava-me de curtos momentos da noite. Não me conseguia lembrar de tudo, sentia-me pecador e existia um odor fresco e doce no quarto que reconheci de imediato.

E fizeram-te fugir

Passar simplesmente por ti não chega. Sei que não te posso confrontar. Seria demasiado egoísta da minha parte. Mas todos os dias o ritual é o mesmo. Cruzamos os nossos olhares diariamente. Eu vejo-te. Bela como sempre, fantástica como nunca. Apenas uma pequena rua nos separa, uma grande angústia nos mantém afastados.