Doze badaladas

| Conto Erótico | Maiores 18 |

 

Primeira badalada… Gosto de ti porra… Segunda badalada… Contigo a fome nunca passa… Só aumenta… Terceira badalada… Adoro-te atrevida e ousada para comigo… Quarta badalada… Quero mil vezes o que tive este ano que acabou… Quinta badalada… Quero possuir-te mais e melhor… Quero concretizar todas as tuas fantasias taradas que me contaste e muito mais… Sexta badalada… Olho para ti e acho que tu me completas… Sétima Badalada… Contigo o meu calor aumenta e a fome triplica… Oitava badalada… Está quase a começar a festa… Nona badalada… Começam a ficar difícil de desejar mais sexo… Mais cumplicidade… Décima badalada… Quero-te muito… Quero-te vestida ou despida… Na minha cama ou onde calhar e apetecer… Décima primeira badalada… Só agora reparei no bem que fica a minha mão no teu rabo… Quando dou aquela palmada ou quando pego e aperto… Décima segunda badalada… Ultimo desejo… Eu e tu… Agora e já… Aqui mesmo… Eu dentro de ti… A tocar sinos toda a noite… Próxima paragem… Paraíso dos orgasmos…

 

Desejos de fim de ano para o ano que se aproxima… Ser feliz… Ter muito sexo… Ter o meu clube campeão… Poder dar passeios românticos na praia em dias de chuva… Ouvir os relâmpagos a cair ao longe e ter junto a mim… Apenas o sussurro da tua voz… O toque das tuas mãos no meu peito… O poder olhar num dia cinzento o teu sorriso… Se estás feliz… Eu estou feliz… Se o dia está cinzento… Depressa é um dia de verão…

 

Não te posso dizer o quanto te quero… Pois sabes bem o quanto te desejo… Sabes desde o mesmo em que acordo e sentes os meus lábios no teu corpo… Procurando pelo nosso prazer… Quando te toco nos lábios com os meus e te desperto… O teu sorriso depois do beijo… A almofada que lanças para mim por ter dado cabo do sonho que estava quente… Devo agora aquecer o teu corpo… Perco-me em beijos… Pelo teu pescoço… As tuas orelhas… Afundo o meu corpo nos lençóis e sorvo os teus mamilos nos meus lábios… Anseio sentir eles duros… A língua que se perde em toque… Aquelas trincas suaves… O sentir os mamilos rijinhos… Duros… E eu pronto para continuar a minha viagem… E desço mais… Tu preparas-te pois sabes o que quero e afastas as pernas… Acomodo-me entre elas e sinto elas a fecharem em torno da minha cabeça… És a minha prisão… E eu adoro ser o teu prisioneiro… Quando sentes aquele toque dos meus lábios… Aquele arrepio que começa onde toco e percorre todo o teu corpo que anseia por outro toque… A língua atrevida que se mostra e toca suavemente… O toque da língua no teu sexo… Que desliza suavemente dentro de ti… Sente-se o apertar das pernas na minha cabeça… Bom sinal… É o caminho certo… Perder-me no clitóris… Saborear o teu sabor… Apreciar os teus gemidos… E o dedo atrevido que brinca em ti… A tua humidade quente que me deixa louco… Sorvo o teu corpo de mil prazeres… Mil toques em ti… Gemidos sem fim… Sinto as tuas pernas relaxar… Libertas-me da tua prisão… Subo teu corpo… Olho nos teus olhos… E tu desejas-me… Eu sei que me queres… E me encaixo em ti… Deliciosamente dentro de ti… Sinto as tuas pernas entrelaçadas na minha cintura… A minha prisão voltou… Procuras os meus lábios… Procuras o nosso beijo… Mordiscas o meu lábio enquanto deslizo no teu corpo… Olho para ti… Para o teu ar de excitação… A tua fome… A minha fome… A nossa tesão… Os beijos… Corpos despidos que se saciam de desejos um do outro… Prazeres… Gemidos… Orgasmos…

 

Prende-me… Em ti…

 

 

NMauFeitio #69Letras

Na mesma mesa que essa pessoa

Há ligações que nunca se perdem. Laços criados, há muito construídos, inquebráveis que nem a distância desune. É por vezes incompreensível. Podemos não ver alguém à dias, meses, anos e volta e meia damos por nós sentados na mesma mesa que essa pessoa. Continuar a lerNa mesma mesa que essa pessoa

Um banho de água quente

Tu precisavas de falar e eu de companhia. Tinhas dito momentos antes que te saberia bem desabafar um pouco e sugeri que passasses por cá. O caminho de tua casa à minha é curto, umas meras ruas, embora a noite já tivesse aterrado há muito isso não foi impedimento. Continuar a lerUm banho de água quente

Um espaço vazio

Estou sozinha. Nua. Ajoelhada do chão. As mãos na cara amparam as lágrimas que me queimam a alma. Não existe nada à minha volta. Nada! Apenas um espaço vazio. Tão vazio como o meu coração.
Hoje o meu silêncio é tudo o que tenho para te dar. Já te dei o meu corpo, o meu amor, o meu prazer, a minha vida. Daria tudo mais por ti. Tudo! Mas o meu tudo não é suficiente.
A minha pele guarda em segredo a magia do teu toque. Sublime, único e viciante. Eu não quero mais nada da vida, a partir do momento em que tu caíste nela.
Não quero outra voz no meu ouvido. Não quero outras mãos a descobrir o meu corpo. Não quero outro calor misturado no meu. Não quero outros segredos. Não quero outra loucura.
Só te queria a ti, no caos que é a nossa vida. Na confusão dos meus sentimentos. Nos rasgos de lucidez que me assaltam os sonhos.
O mundo será sempre um lugar muito pequeno para nós…

Raio de Sol | #69Letras

15 minutos

Mais uma vez quero vos deixar um pequeno conselho e algo que defendo muito.

Uma vez quando estava numa igreja a assistir a um casamento no qual era padrinho do noivo decidi prestar atenção às palavras que o padre dizia. Não sou muito disto admito. Tenho as minhas opiniões, as quais defendo e as quais não tenho que obrigar ninguém a aceitar. Mas naquele momento as palavras que costumava ignorar chamaram-me a atenção. Continuar a ler15 minutos

Um pecado, meio ácido meio doce

Estava dorido, moído, sentia que tinha descansado pouco. Ainda estava em modo de arranque mas lembrava-me de curtos momentos da noite. Não me conseguia lembrar de tudo, sentia-me pecador e existia um odor fresco e doce no quarto que reconheci de imediato. Continuar a lerUm pecado, meio ácido meio doce

E fizeram-te fugir

Passar simplesmente por ti não chega.

Sei que não te posso confrontar. Seria demasiado egoísta da minha parte. Mas todos os dias o ritual é o mesmo. Cruzamos os nossos olhares diariamente. Eu vejo-te. Bela como sempre, fantástica como nunca. Apenas uma pequena rua nos separa, uma grande angústia nos mantém afastados. Continuar a lerE fizeram-te fugir