Beijinhos para os verdadeiros 69ers

Hoje vou-vos escrever como nunca escrevi. Nada de fantasia, só eu. A vossa Miss Steel.  Minha vida deu uma reviravolta, não vai há muito tempo. Perdi o meu chão, enfrentei a minha fragilidade humana e caí num abismo. Não se preocupem, a vossa Miss Steel levantou-se. Com a ajuda duma criança, jamais esquecerei. -Precisamos de…

Basta um toque

Vi-te chegar e logo o meu peito explodiu de ansiedade. Ansiava pelo primeiro toque após tantas promessas de beijos. Sorriste-me e o meu corpo sorriu-te de volta. Meu coração quase que saltava fora do meu peito. Uma onda de choque invadiu o meu corpo e só pude rezar a Deus para que não desfalecesse ali…

Livre

Livre e inocente cavalgo neste mundo de tentação que amansa o meu corpo e seduz a minha alma Livre e inocente, vivo todos os momentos de amor Como se fosse o último dia Livre e inocente, anda o meu coração carregado de amor para te dar Trago este peso para partilhar contigo Livre e inocente…

Abandono…

Deixo de analisar, pensar no que sinto e tentar explicar, este desejo intenso que não posso ignorar, que sinto na pele teimosamente sem o teu tocar. Deixo o querer não te querer, sentimentos protelar, entrego-me ao ter, à vontade de te amar. Abandono o meu corpo, entrego-te a alma, rendo-me aos sentidos, há tanto queridos,…

Compêndio de Botânica comparativa do Bastardo

Margarida, Flor colorida de natureza selvagem e existência sazonal – Mulher de beleza natural,  não necessita de muito aparato, antes opta sempre por usar de simplicidade, utiliza a sua personalidade rebelde orgulhosamente e tal como a flor que floresce ao primeiro despontar da Primavera. A mesma renasce com o florescer de um novo AMOR, muitas vezes…

Vingança duma leitora especial

Texto erótico/M18 Ai ai vizinho… O que havemos de fazer contigo? Como é possível ires para a praia com uma carrada de Deuses e não nos levares hein?! Achas bem o que nos fizeste?! Deixas estas duas meninas cheias de calor e loucas por um bom refresco ,como a sangria que bebeste, e vais só…

Vencida pelo silêncio

Mais uma batalha perdida. As tuas armas favoritas ferem-me até às entranhas do meu ser. Silêncio. Desprezo. Tua armadura de ferro que se opõe sempre à minha fragilidade humana. Esse teu coração de pedra, já tantas vezes por mim aberto, teima em sobreviver apesar dos golpes fatais que eu lhe causo. Neste chão observo a serenidade…