Sensorial…

Leio-te…
As tuas letras são música numa pauta de maestro onde apenas quem sente a tua melodia saberá o que significam…

Vejo-te…
És uma bela e hipnotizante pintura, de pinceladas e contornos magníficos onde apenas quem tu permites ver conseguirá decifrar esse teu olhar e brilho…

Ouço-te…
A tua voz é um deleite para meus ouvidos! Apenas consigo te equivaler aos sons primaveris dos passarinhos, ou mesmo às mais belas sinfonias de Bach ou Mozart…

Cheiro-te…
Teu perfume inebria-me os sentidos! Inspiro e fecho os olhos, e ali permaneço uns segundos a contemplar a beleza do teu aroma…

Provo-te…
Teu sabor é único e inigualável! És doce, quente e saborosa… (até salivo!)

Toco-te…
És suave e delicada como uma bela pétala de rosa… teu toque é viciante e de um requinte sem igual…

Sinto-te…
Sim, sinto por ti o que nunca senti por ninguém! Sinto que me tiras a paz, a calmaria e sossego. Sinto um aperto de êxtase quando sei que vou estar contigo, sinto as borboletas no estômago que me inquietam e me deixam cheio de medo.

Medo… Sim, sinto medo por não saber se estarei à altura nas tuas “exigências” e vontades…
Estarão os meus sentidos a trair-me, ou estarei mesmo a sentir estas coisas todas por ti?

 

O Vizinho #69Letras

Não tinhas o direito! Não podias…

 

Porque é que o fizeste?

Fotografia: Via Tumblr
Estavas a tentar provar que afinal não sou feita de gelo? E agora que já sabes que por baixo desta capa ainda existe a mulher que um dia tocaste, o que é que tu vais fazer? Se nada é a resposta então já te digo que te devias ter deixado ficar por aí… pelo nada. Valia mais!
Não tinhas o direito! Não podias…
Não podes chegar e beijar-me! Dar-me a mão e descobrires-me frágil perante o teu avanço já que não tens intenção de me amar! Não podes dar á minha boca o refresco que é o teu beijo, não podes sacudir o meu coração e deixar-me assim sem saber para onde ir e o que fazer com este gostinho de felicidade com que pintaste meus lábios.
Não se faz.
Foste o verão que nunca esqueci, foste a luz da minha noite, tocaste-me genuinamente como antes nunca fora tocada, e eu tenho saudades disso! De quem eu era ao teu lado, mesmo que tenha sido breve, a mulher que conheceste é a mesma por quem sinto saudades. Tu foste e ela escondeu-se… fechou-se numa concha, pérola essa que nunca mais foi alcançada como um dia tu a marcaste…

 © 👠Cátia Teixeira, Vizinha 69 Letras 2015

Escrevemos… 

Há dias em que queremos escrever e sentimos que nada faz sentido.
Procuramos palavras, sentimentos, um motivo, uma atitude, um gesto, uma palavra…
E nada faz sentido.
Escrevemos porque nos liberta e nos faz despejar a alma em palavras.
Mas a alma é sorrateira e esconde-se nos meandros da nossa escrita.
Esconde-se para não ser descoberta.
Há dias em que nada faz sentido e tudo parece ser o que sempre foi… mais do mesmo… a vida que queremos e não queremos.
E escrevemos essa vida em palavras para atenuar o que temos e não temos.
Escrevemos as nossas ilusões e os nossos desejos.
Escrevemos as nossas agruras e o nosso desânimo.
Escrevemos as nossas fantasias mais ousadas e o que vivemos intensamente.
Somos aquilo que escrevemos e nada mais importa quando usamos um papel, teclas ou o visor de um dispositivo qualquer…
Não temos horas,
Não temos dias,
Não existe noite ou dia,
Não existe tempo para fazer aquilo que nos emerge num sentimento profundo de liberdade!!
Escrevemos…
Quando nada faz sentido até na escrita…
Escrevemos!!
Somos 69’ers e adoramos!

Guerreiro

Esta noite sou tua… 


Esta noite sou tudo o que sempre desejaste, o teu começo e o teu fim por te querer dar esse prazer e por te sentir tanto em mim.
Quero que me sintas também. Quero que sintas a maciez da minha pele, como a de uma pétala de rosa, que se arrepia ao sentir o calor do toque dos teus dedos, o cheiro adocicado e florido do meu perfume espalhado pelo corpo que te inebria os sentidos deixando-te tão desejoso de mim.

Para ti sou tudo, entrego-me sem pudor e sem medo, sou menina ou mulher, por vezes santa e submissa, outras tão pecadora e devassa, sou o que quiseres que seja por tanto te querer, de corpo e alma e rendida a te satisfazer.

Pede-me o que quiseres com esse poder que tens sobre mim que me faz perder a razão e a ingenuidade, submete-me aos teus desejos mais devassos e às vontades ocultas, usa o meu corpo para teu prazer e nada me dará a mim mais prazer.

Por isso me rendo, abandono o corpo e a alma aos teus delírios, às tuas carícias e beijos e a todos os teus veementes desejos porque esta noite…

Ah! Esta noite sou tua.
Miss Kitty

Não me vais perder… 

Ela diz-me:
“Fala comigo… diz qualquer coisa… quero-te ouvir…”

Respondo-lhe prontamente:
“Ouve-me… digo-te que…
Que te sinto dentro de mim como não quero deixar de sentir. Que cravaste um cunho cá dentro e marcaste a ferro e fogo o teu nome. Que este pedaço de carne que não passa de um músculo que bate para me manter vivo já se abriu para tu entrares e tomares posse. Queres que te diga o quanto estou a gostar de ti e o quanto me custou perceber que te posso perder? Não consigo. É indescritível. É pesado demais esse pensamento. A ideia em si assusta-me e tolda-me o pensamento. Não quero acreditar que me envolveste de tal maneira que eu próprio já não me quero libertar de ti. Apenas isto e só isto. Quero-te…”

A sua resposta é imediata e deixa-me desarmada:
“Não me vais perder!
😘😘❤️”

Guerreiro

…se tiver de cair… bom, depois logo se vê.

12342773_1635357353376662_1235744526806975716_n

Fotografia: Via pesquisa google

Às vezes tento fazer as coisas pelo melhor como acho que é correto ou parece mais certo mas dá sempre merda, faz-me lembrar quando tento seguir uma receita à risca, nunca dá resultado!
Às vezes quero caminhar pelos dias devagar ponderar nas decisões e perceber as emoções… é quando me perco e arrefeço. Quando não estou nem aí para o certo e o errado é quando acerto. Quando estou mais descontraída e intuitiva e se me atirar ás coisas da vida sem peso e medida, então sinto-as ainda mais, fundem-se e perduram dentro de mim.
Eu bem queria ser mais branda mas isso afrouxa-me tira-me a coragem faz-me voltar atrás, vivo muito menos quando modero os meus passos.
O melhor é ir, largar a moderação e se tiver de cair… bom, depois logo se vê mas de uma coisa é certo, no entretanto, vivi.

A Vizinha #69Letras

Só mais uma vez…

received_1039189282839395

Texto Erótico|M18

Chega o final de tarde de mais um dia cheio de calor. Lá estava eu a relaxar na cama de rede presa às árvores, exausta de um dia de praia, a ouvir o som da natureza.
“- Queres café?” – Aquela voz não me era estranha mas eu nem cheguei lá só queria estar ali a relaxar.
Insiste mais uma vez… Sabia bem que o café era algo que eu nunca recusava. Abri os olhos, tirei os óculos de sol e levantei a cabeça para ver quem me incomodava do meu sagrado descanso de beleza…
“- Tu aqui?!” – Foda-se, nem no meio do mato me livro das minhas tentações, do meu pecado mais profundo, do meu fruto proibido mas tão apetecido. Era ele aquele que me faz delirar, aquele que me faz vibrar com um simples olhar. Eu conhecia aquela voz.
O meu corpo bloqueou, a minha mente só pensava nas maravilhas que fazíamos, naquele corpo colado ao meu….
“- Então? Queres café ou não?” – Adoro quando ele é firme nas palavras! A minha boca só queria abrir para lhe dizer que esquecesse do café, era o seu corpo que eu desejava neste momento!
“- Sim claro que quero um café.” – Foda-se Little, acalma-te! Ele agora é comprometido e tens de respeitar isso…
Lá foi ele buscar o café enquanto isso aproveitar para me arranjar, peguei na minha malinha tirei o espelho e coloquei o bâton rosa que ele tanto adorava, carrego um pouco mais no risco dos olhos para realçar bem a minha cor, componho o biquíni e ato o lenço a cintura só para o estilo.
“- Tens tabaco?! A minha namorada foi comprar mas ainda não apareceu!” – Epá, este gajo tem cá uma lata… Aproveito a deixa e cobro lhe uma saída logo.
À noite… Fica pensativa pois para onde quer que vá leva a namoradinha. Insisto com ele pois seria a minha última noite ali. Com algum receio aceita.
“- Ás 22h no Bar ali ao fundo, é o único que existe aqui neste paraíso.
– Até logo então.”
Minto tão mal pois ele sabia que para além desse existiam mais uns três ou quatro. Chega a hora e lá estou eu à espera dele, sentada na esplanada do bar. Vesti o vestido rosa bebé aquele que ele dizia que adorava pois mostrava bem as minhas curvas, sapato alto preto para ficar quase do seu tamanho, e por baixo do vestido a lingerie rosa e preta, o quanto ele delirava com esta lingerie. Passado algum tempo continuava eu a sua espera, pensando que se tinha arrependido. Dirigi-me ao balcão, paguei a minha conta, já estava tão quente pois bebi tanto, e saí em direcção ao mato que havia por trás do bar.
“- Hey ….Onde pensas que vais?” – Olha, ele afinal veio…
Vem até a mim, agarra-me e dá-me um abraço apertado.
“- Pensava que não vinhas…
– Achas mesmo que ia perder a oportunidade de acabar a minha despedida de solteiro em grande?!” -Fiquei ali a olhar para ele com vontade de o espancar mas quando aquelas mãos me agarram e me pegam ao colo com uma tesão enorme e uma vontade ainda maior esqueci-me de tudo.
Se é para ser que seja em grande. Sai do colo dele, desapertei-lhe o botão das calças, baixei lhe os boxers e chupei cada centímetro do seu caralho… Que tesão de homem, foda-se! Lambi cada pedaço do seu membro, mordisquei aquela cabecinha malandra que quando em mim entrava me fazia gritar de tanto prazer. Estava quase a chegar ao seu ponto de ebulição. Tirei-o da minha boca, meti-me de quatro, naquele mato cheio de árvores e ervinhas entre mais uma data de plantas que não sei o que eram, enfiei-o dentro de mim…. enquanto me fodia ia-me explorando mais uma vez. Os seus dedos faziam círculos na minha vulva, aquelas entradas e saídas rápidas faziam-me chegar ao êxtase total! Levanta-me e de costas para ele encosta o meu delicado e tesudo peito ao pedregulho que ali se encontrava, vai enfiado o seu pénis no meu rabo enquanto faz os seus dedos entrarem na minha cona húmida. Acelera o ritmo e vai apertando o meu peito, com uma mão puxa os meus longos cabelos e juntos chegamos ao momento alto da noite. Vira-me de repente e à pressa e vêm-se no meu peito.
Recompomo-nos e chama-me de louca, diz-me que seria a sua eterna amante. Com um beijo na testa despede-se de mim dizendo que seria a nossa última vez .
Ri-me e disse ok.
Última vez… ahahahh tadito piorou….Hum última vez…. nem no seu maior e pior pesadelo…

Little Patrice