…lençóis brancos daqueles com cheiro a novo…!

13082560_1690741631171567_2752395138902211831_n

 

Adoro f@der
Contigo e em lençóis brancos
Daqueles com cheiro a novo
Usar uma lingerie igual a tua
Só mudamos a cor
Hoje foi o teu dia de me mimares
Jantar vegetariano
Um tinto de reserva do meu douro de paixão
O tinto tem efeitos secundários nas mulheres
A mim em especial
Deixa-me logo quente
Calor
Com vontade de dar uma
Património dizem eles
Sinceramente já nem me lembro bem do jantar
Lembro-me do vinho ser top
Que continuas a saber a sal entre as pernas
Que estou viciada em ti
©A Maria dos Collants #69letras

 

Amigos Coloridos

Texto Erótico|M18

“- Olá miúda! Tudo bem?
– Olá miúdo! Sim, está tudo bem.
– Tens planos para hoje?
– Nada de especial, porquê?
– Queria estar contigo. Tenho muito stress acumulado.
– Adoro quando tens esse stress acumulado. A que horas te queres encontrar comigo?
– Ás 21h. Em tua casa?
– Anda! Tenho um novo brinquedo para experimentar. Vais adorar!
– Hum… Mal posso esperar. Adoro quando tens brinquedos novos…
– Até logo. Beijinho.
– Até já…”

Amizades coloridas.. Desejadas por muitos, conseguidas por poucos. Não é fácil encontrar alguém com o mesmo pensamento que nós, onde apenas o sexo, o prazer e a descarga de emoções interessam. É como encontrar uma companheira, namorada mas onde a paixão e o coração estão proibidos de entrar. Como explicar isso? Segue uma conversa que tive com uma amiga. Pode ser que vos ajude a explicar o meu ponto de vista.

“- Isso é quase impossível acontecer Vizinho!
– Quase mas não impossível.
– Porque chegaste a esse ponto?
– Muitas feridas e muitas defesas levantadas devido a relacionamentos falhados. Ou simplesmente porque gosto do sexo, do prazer que tiro.
– Ai! Eu não consigo estar assim! Não consigo tirar prazer nenhum. É quase como uma acção de solidariedade, e sexo por solidariedade não é comigo! A pessoa tem que ser especial.
– Eu escolho com quem f@do/faço amor. Só isso já faz dessa pessoa especial para mim.
– Não acredito nisso de amizades coloridas. F@der por f@der não é bem a minha onda. Fazer aqui, ou ali só por fazer…
– Eu costumo dizer que sou tipo Mr. Grey “EU não faço amor, eu F@do!” mas no final não é bem assim. Sim, consigo ter o tesão para f@der mas ao fim de duas ou três vezes não é só f@der, é sem dúvida fazer amor, f@dendo.
– Não quero relações esporádicas nem passageiras. Saltar de corpo em corpo não é para mim. Prefiro me manter sozinha.
– Gosto de f@der, gosto mesmo, por isso mantenho este trato com esta amiga. Quando um de nós quer f@der liga com o outro… Sem paixão, nem romance. Sexo puro! Lógico que nutrimos sentimentos de carinho e respeito um pelo outro mas ficarmos apaixonados é proibido. Se isso acontecer cada um segue o seu caminho.
– Assim, tão fácil?
– Para já falar é simples…
– Um de vós vai sair magoado no meio disto tudo…
– E isso não acontece em quase todas as relações impossíveis?
– Pois, não vês grandes diferenças, pois não?
– Não minha amiga, por isso deixamos rolar. Até ao dia em que um de nós conhecer alguém que valha a pena apostar uma relação, vamos nos manter assim, amigos coloridos…

O Vizinho #69letras


 

Não, não posso ceder!

6f74bd80d9762c50d97c89bca6325f0f.jpg

Texto Erótico|M18

Acordei, e lá estavas tu a seduzir-me mais uma vez. Sabes como sou, não cedo assim tão facilmente aos teus encantos, mas hoje estou com uma enorme vontade de te possuir… Não, não posso ceder e fico quieta. Tento controlar a minha respiração e esta minha vontade de te querer mais uma vez, enquanto tu exploras o meu corpo. Já sabes onde estão os meus pontos fracos e sabes como me excitar. Não consigo resistir-te mais. Fujo da cama, aquela onde tu me fazes maravilhas, vens atrás e puxas-me o lençol. Encostas-me à parede gelada, sinto o teu corpo a escaldar e a encostar-se em mim. Puxas-me o cabelo daquela forma que só tu sabes e beijas-me intensamente, como se não houvesse amanhã.

Foda-se! Gosto tanto desses beijos, intensos e quentes!

Começas a descer, começo a me contorcer, e a pensar que não aguento muito mais. Ganhaste! Não consigo resistir-te mais. Salto para o teu colo e sorrio… Nem imaginas o quanto quente estou. Vais buscar um cubo de gelo, aquele que refrescava o nosso champanhe, colocas nos teus dentes e começas a passa-lo em torno dos meus mamilos, deixando-os rijos. O cubo de gelo desliza pelo meu corpo preso nos teus dedos, enquanto tua boca se mantém nos meus mamilos, onde começas a trincá-los e a chupá-los. Neste momento o meu corpo já se encontra bem mais quente do que o teu! Sinto a tua respiração ofegante, e o teu corpo a colar ao meu. Lembras-te e vais buscar o resto do champanhe que sobrou, dás um trago e dás-me a beber da tua boca. Vens lamber a gota que me escapou e me escorre pelo pescoço… e as outras que espalhaste pelo meu corpo. Assumo o comando, meto-te uma venda e beijo-te loucamente. Sento-me em cima de ti e deixo que me penetres. Beijo-te o pescoço enquanto te cavalgo devagar, pois sei que isso te excita ainda mais… o comando inverte-se, tiras a venda, prendes-me os braços e mexes-te acompanhando o ritmo da música. Tudo em ti é especial, tudo em nós é mágico…

DamaDeCopas

Hoje apeteces-me…

received_1018800271544963

Texto Erótico|M18

Nem te liguei para saber se poderíamos estar juntos… Apenas vesti a melhor lingerie com um simples casaco por cima e lá fui caminhando até a tua casa….
Queria algo diferente, algo que não tinha feito, e que ficasse gravado na tua memória…
Chego ao estacionamento, ligo-te pedindo que desças. Ficas estupefacto ao me veres ali.
Pego a tua mão e levo-te ao Jardim mesmo ali ao lado da estrada por onde passam tantos carros…
Há pessoas na rua, passeando os seus cachorros, praticando desporto e uns poucos a namorar….
Estava nervosa e tu curioso para saber o porque de te levar até ali…
Sentamo-nos no banco mais discreto rodeado de arvoredo… Perguntas tu o que trago vestido por debaixo do casaco… Deixo te espreitar e chamas me de doida.. Doida porquê?! Por querer te sentir ali mesmo naquele banco, naquele jardim? Estava tão excitada que não me conseguir controlar. Discretamente sentei-me no teu colo, abri o fecho das tuas calças, desviei as minhas cuecas e coloquei-o dentro de mim. Fiquei com uma vontade louca de te chupar… Não passava ali ninguém naquele momento, sai de cima de ti e chupei-te ali mesmo. Todo até ao fundo como gostas… Devias ter visto a tua cara. Estavas tão excitado mas tentavas disfarçar com medo que alguém passasse e te visse. Ficas-te bem teso, voltei para o teu colo e fiz de ti o meu cavalinho. Cavalguei como se estivesse numa corrida de cavalos. Estavas cheio de medo mas o momento estava quente demais para quereres parar. De repente esqueces-te que estávamos no meio da rua, num jardim, onde a probabilidade de alguém aparecer era bem grande. Tiras-me de cima de ti, livrando-me do casaco fiquei eu ali de lingerie. Encostas-me a árvore onde me continuas a foder-me mas agora com menos receio. Estávamos tão quentes que não queríamos saber de mais nada. Até ouvirmos uma voz meiga… Olhamos para trás e vimos uma bola. Foda-se! Depois de uma bola vem sempre uma criança! Atrapalhados, tento ser rápida a vestir o meu casaco e tu apertar as calças para a criança não ver nada… A criança aparece… Uff! Estávamos vestidos.
-Francisco não vás para ai! Não interrompas os senhores…
Foda-se a mãe do puto viu-nos… Corados saímos dali…
Mas se ela sabia porque não o impediu de se aproximar? Pois, estava tão bom, tão quente….
Pelo menos ficará gravado na tua memória.

Little Patrice

Desejo

13316902_2014043282154682_7326437500972438805_o

Texto Erótico|M18.

Suspirou de antecipação, quando o seu olhar recaiu nas transparências, negras, que envolviam o corpo dela, iluminado pela luz suave das velas espalhadas pelo quarto.

Ela virou-se, quando o sentiu entrar, e o seu peito elevou-se com a excitação que percorria cada pedaço de si.

Caminhou até ele. As suas mãos despojaram-no da roupa…

O falo, completamente erecto, pedia que cuidassem dele… Ajoelhou-se, tocou-lhe primeiro com os dedos, depois com a língua e, só depois a boca … Demorando-se propositadamente, movendo o seu corpo ao som da música.

“Que bem que ela o faz….”- pensou ele.

Levou-a para a cama e tirou-lhe a túnica; prendeu-lhe os pulsos com ela e, usando um flogger de pêlo percorreu cada centímetro, deixando-a em delírio. Aproximou a boca da sua vagina e sorveu o seu líquido enquanto a mordiscava.

“Hummm…” –  Não conseguiu conter um gemido orgásmico, quando ele a penetrou primeiro devagar, depois com intensidade, parando sempre que a sentia perto de se vir, aumentando-lhe o prazer, a dor provocada pelo desejo.

Virou-a de costas, acariciou-lhe as nádegas, e a sua mão caiu sobre elas…. Uniu-se a ela num frenesim, absoluto, até o grito dos dois se espalhar no ar, e ele descansar o seu corpo sobre o dela…

The Oyster #69Letras

 

 

pôr·-do·-sol

13061944_1690782414500822_1135171515665594273_n

 

pôr·-do·-sol
-substantivo masculino
1.Momento do dia em que o sol desaparece no horizonte. ANOITECER, CREPÚSCULO, ENTARDECER, OCASO, POENTE
2.Refeição ao entardecer; ágape vespertino.
Plural: pores-do-sol.

A Maria dos Collants #69letras

Hoje queres-me em ti, dentro de ti…

Que belo dia para sair de casa, vestir os calções e a camisa de Linho, usares aquele vestido leve e florido que compraste nas férias em Ibiza.
O Sol quente e iluminado que nos enche de Vitamina D, a leve e cheirosa brisa de Maio com toques de Alecrim e Malmequeres, a frescura de uma Imperial numa esplanada junto ao mar… Certeza não há melhor que isto para dias como o de hoje…
Mas não… Não é isso que queremos fazer… Nada de roupa, somente a nossa pele… Nada de sol nem brisa cheirosa, apenas a luz do candeeiro e a odor do nosso corpo… Nada de sabor refrescante, somente o salgado e quente da nossa pele…
Hoje ficamos no sofá, na marquise, na cozinha, na casa de banho, na cama… Percorremos todas as divisões e cantos da casa, ora húmidos de vontade, ora molhados do banho; ora famintos de prazer, ora desejosos um do outro…
Hoje queres-me em ti, dentro de ti, em cima de ti, debaixo de ti… E eu em mim te quero, onde nus e desprovidos de quaisquer pudor ou vergonha gritamos em uníssono o nome um do outro…

O Vizinho #69Letras